Conlang
Advertisement
GalizaWheelPortAesTagGal-2

Galeiga (Neo-Galaico) é a forma revivida da antiga língua celta da confederação tribal Gallaeci do noroeste da Península Ibérica conhecida como "Galaico" ou "Galécio". O vocabulário do Galeiga é exclusivamente íbero-celta com empréstimos íbero-bascos, bem como latim, gótico e árabe através das línguas ibero-românicas. Muitas palavras celtas do galaico sobrevivem até hoje em galego e em português, que foram incorporadas ao idioma. Há também empréstimos do gaulês, britônico (a Galícia foi colonizada pelos bretões durante a invasão anglo-saxônica da Grã-Bretanha) ou de palavras irlandesas/gaélicas primitivas que podem ser rastreadas até a seus equivalentes celtíberos. Galeiga é visto como o céltico ibérico ocidental, enquanto sua língua irmã Kantabriagu é o céltico ibérico do norte, respectivamente. Kantabriagu tende a ser muito mais conservador em sua morfologia e tem uma significativa influência basca. "Tuda gen tãg tudo gen alma es"; "Um povo sem língua é um povo sem alma". Galeiga é aquela velha alma da Gallaecia.

Proto-Galaico: Galaeca tangua sena Galaeceis eni Toute-uφos Iberias esi, auota inte nouion to dumne nouie indi cantaiesti uicontis oinos.

Galaico antigo: Galaica tangua sena ad Galaicia eni Tode-ufos ad Iberia esi, auta ene noiun to duune noie endi cantaisti viconti oenus.

Galaico Médio: Galaiga danga sea að Galeigia ene Toðe-fo að Iberea ese, auda ane noiu do duunu noiu an gandaise figonde oenu.

Galeiga: Galeiga dãg séa aHaleia en Tozefó azIbérea es, ouda ã noiu dó doun noiu ã gandais figõd oen.

Kantabriagu: Kantabriagu danga zen Kantabriagu gu Totzean Ibéreagu ez, auda noioa dun noioentzat kantaiza higondi on.

Português: "Galaico é a antiga língua da Gallaecia no noroeste da Península Ibérica, renovada para o novo mundo do século XXI."

Galego: "Galaico é a língua antiga da Gallaecia no noroeste da Ibéria, reconstruída para o novo mundo do século vinte e um."

PortugalcelticCrestTãg

Neo-Gallaic no Facebook:

https://www.facebook.com/neogallaic/

Crédito pelo Galeiga (Neo-Gallaic) vai a:

@ cambarco:

Para ouvir o idioma falado, siga este link:

https://www.youtube.com/watch?v=AzXYcnqRyy8&feature=share

-Nome-[]

Galeiga: Gal+ega

(Gallaeci) Galla (Calla, C poderia também ser G em latim) do proto-céltico "Gala-" (poder, força, força) mais "-ico"/"-eco", um sufixo celta ibérico usado para indicar posse ou pertencimento. Assim, Gallaeci, Galla-eci (plural), Galla-ecos/eca (singular). Seu nome pode significar algo como "pessoas fortes" ou "pessoas de poder".


CelticaIberica
 -Fonologia-
 todas as vogais (a,ã,e,i,o,õ,u) são pronunciadas da mesma forma como as seriam em português,
 as vogais tônicas (á,é,í,ó,ú) são alongadas e carregam a tonicidade da palavra,
 os ditongos também recebem tal tonicidade.
 s - /s/, /z/ antes de "e" ou "i", /ʃ/ ante consoante
 ll - /lj/ (pronuncia-se como em português: "lh")
 c - /k/
 g - /g/
 x - /ʃ/
 h - /x/, /h/
 z – /ð/   (como em 'corda' em galego, ou como em inglês "th", o mais forte, um "d", mas com a língua atrás dos dentes superiores
 ñ – /ɲ/   (como no "nh")
 in(vogal) - "iñ_" (Finu é pronunciado "fiñu" <finhu>)


Obs: Adaptações fonéticas conforme a região/país são bem-vindas, o que enriquece o idioma. Mas para a comunicação mais padrão e neutra, recomenda-se a pronúncia aqui apresentada.

-Mudanças fonética históricas-[]

GalizaTagaleiga
Proto Celta gaulês Celtíbero Galaico Português
wer- >uɸer uer ou ou acima
ouxs ux os/nós os/nós para cima
uɸo uo uo/vo uo/ua (vo/va, fo/fa) sob
eɸiro- era ero eru depois
geno- genos genos enus nascido
sego- segos segos seus vitória
briga- brix briga bri/bria um forte/elevado
widu- uidus uidus/vidus fidus madeira
tarwo- taruos taruos tarvus* touro
anman- anuan alman alman nome
kʷenno flâmula cennon cennun cabeça
rextu- rextus retus retus certo
não sei- dumnon dunon não sei mundo
suecos suex processa processa seis
wlana- ulana lana ulana
ɸlano- lanos lanos lanus campo/cheio
duxtir duxtir duador duador filha
rig- rix ri ri rei

Obs: Pode acontecer metátese na evolução das línguas, isto é, troca entre as sílabas. 'Taruos' pode tornar-se 'Tauros', daí Touros, paralelo ao que houve com Marua (Morta) > Maura > Moura/ Mora, que dá nome a certa classe de Espíritos (Mouras Encantadas) encontradas em Portugal e Norte da Espanha, e mouros (mouros < mauros < maruos (mortos)), figuras lendárias na Península Ibérica, que nada tem a ver com os Mouros do Norte da África (Mauritânia).

-Lenição e Palavras Compostas-[]

GaleiaZoom

A lenição em galaico é puramente hipotética e foi aplicada aqui de maneira limitada, havendo alguma evidência disso nas línguas celtas continentais. Lenição em galaico existe como uma mutação da letra inicial da segunda palavra em palavras compostas e quando um pronome pessoal é anexado a uma preposição.

Pares de Consoantes Mutadas

s>x

b>m

c>g

g>h

d>z

t>d

l>ll

m>v

n>ñ

Lenição composta (Adjetivo e substantivo descritivos precede os substantivo principal em palavras compostas)

Cordéu - Cor + Téu (Taberna, "casa da cerveja")

Oulgor - Oul + Cor (Sidra, "cerveja de maçã")

Tenzouru - Ten + Douru (Licor/Aguardente, "água de fogo")

Fionugara - Finu + Cara (uva, "baga, fruta")

Enhen - En + Gen (Cérebro, "na cabeça")

Isso também se aplica à forma plural de partes do corpo que vêm em pares:

Orelha: Grusa - Doahrusa (clusta)

Mão: Lama – Doallama

A

Braço: Braga – Braços: Doamraga (lit 2 braços)

Perna: s Gar – pl Doahar (todos seguirão esse padrão)

Pé: Troaz – Doudroaz

Olho: Ogu - Douogu

Pronomes pessoais anexados a uma preposição

Islã adu! - Olá (lit Saúde a ti/você) *Adu (a+tu), lit "em ti/você"

Dor avin tá - Desculpa (lit há dor a mim) *Avin (a+min), lit "a mim"

-Interrogativas-[]


Có? - Onde

Cafajeste? - O que?

Cã? - Quando?

Ce? - Quem?

Ced/Cad camã? - Como? (lit Que caminho?)

Cez – Quantos?

Cadó? - Por quê? (lit Pelo que)

Cad Faz? - Por que? (lit por que razão?)

Cadóar es? - Que horas?

-Pronomes- []

Galicianpiper

Eu: min

Tu/você: tu

Ele: E

Ela: Si

Isto/isso (neutro): Iz

Vós/vocês: Sus

Nós: Nin /nĩ/

Eles: Sis

Meu: Mou/Moa (padrão masc x fem)

Teu: Tou/Toa

Seu/dele/dela: Soi/Soia

Vosso/de vocês: Sou/Soa

Nosso/da gente: Nou/Noa

Deles/seu (pl): Siu/Siua

Pronomes anexados a preposições

A = a/para (equivalente ao caso dativo)

Avin: a mim/para mim | clítico dativo: me

Adu: a ti/a você/para ti/ para você | te

Azé: a ele/para ele | lhe

Axi : a ela/para ela | lhe

Azíz : A isto/a isso/ para isto/ para isso ('isto' como objeto, 'para isso' não é expressão aqui)

Axus: A vós/a vocês/para vós/ para vocês | vos/lhes

Añin: A nós/à gente/para nós/ para a gente| nos

Axis: A eles/Para eles| lhes

(a/para/em direção a)

Dovin: a mim/para mim

Dodu: a ti/ a você/para ti/para você

Doé; Doxi. Doiz; Doxus; Doñin; Doxis.

= com

Govin: Comigo

Godu: Contigo/Com você

Goé; Goxi; Goiz; Goxus; Goñin; Goxis.

En = em

Envin: Em mim

Endu: Em ti/ em você

Ené; Enxi; Eniz; Enxus; Eñin; Enxis.


-Artigos-

Obs: Tradução em Português está no meio.

à – Ãi : O - A: A - Ãi

Su:Isto (isto aqui): Su

Sin: Aquilo: Sin

Soi: Estes: Soi

Sinu (sindo-): Aqueles: Sinu

Ansú: Aqui: Ansú

Ansin: Lá; Ansí

-Preposições-[]

Galpipes

Adé: De novo: Adé

Co: Até: Co

Eis: Fora/ (a partir) de: Eis

Ou (uor): Super, ótimo, o que excede: Ou (uor)

Bar: Em cima: Bar

Bunda: Parte de baixo/fundo: Bunda

Sufixo-óm: *superlativo*: -óm

-el/ela: *diminutivo*: -el/ela

-ún/úna: *aumentativo*: -ún/úna

Endra: Entre: Endra (entara)

Os: Up: Os / Osom = mais alto = osom

En: Em: En ('Em' Quando a próxima palavra começa com "p", "b" ou "m")

Ou: Em cima de (com contato), sobre: Ou

Om: Ao redor: Om

Trí: Através de: Trí

A/Az (ante uma vogal): A/Em direção a: A/Az

Dó: A/Para: Dó

Gõ: Com: Gõ

Ma: Se: Ma

Édra: Além, Mas, porém: Édra

Agu: Também: Agu (confira celtíbero 'Auku')

Coadaida: Também : Coadaida:

Fú: Sob: Fú (c.i.uɸo)

Cen: Antes, antes de: Cen

Eru: Depois, após: Eru (confira proto-celta eɸiro-)

Segaida: Seguinte, próximo: Segaida

Sese: Como, tal qual, na qualidade de : Sese (cf p.c. ' sueca ')

Barraida: Mais: Barraida

Bundaida: Menos: Bundaida

-Am- (Hora)[]

Galaragon

Segundu: Segundo

Minutu: Minuto

Óar - Óara; Hora

Sedañoid - Sedañoida: Semana

Genxedañoid: Fim de semana

Mínsa – Mínsnã: Mês

Blen-Bledna: Ano

Diu – Diun: Dia

Eniu (endiu): Hoje

Amáreia (o.g. A-bárega): Amaréia

Diueru (dia+depois): Depois de amanhã:

Eñoiz: Esta noite

Dís: Ontem

Diugen (dia + antes): Anteontem:

Nú: Agora

Báreia - Báreiã: Manhã

Noiz - Noida: Noite

Adah - Adaga: Tardizinha, Primeiras horas da Noite, Noite

Mezañoiz: Meia-noite

Lé ã soul/Soullé ("pôr do sol"): Pôr-do-sol, ocaso

Demsente: Pôr-do-Sol:

Éne ã alma/Souléne (lit "nascimento do sol"): Nascer do sol, Aurora

Nascer do sol, Aurora: Lugubrei (Lugu+brei: lightbreak) Basco: Argiurratze (interrupção de luz).

"Dias da semana": Diun a sedañoid

Dias da semana: Sedañoideu diun

Domingo: Souldiu (domingo+dia)/Domenga (Dominica)

Segunda-feira: Lugradiu (lua + dia)/Lugre (Lues)

Terça-feira: Caudiu (batalha+dia)/Marde (Martes)

Quarta-feira: Endradiu (entre+dia)/Mergu (Mércores)

Quinta-feira: Nefudiu (céu+dia)/Xofe (Joves/ Xoves)

Sexta-feira: Lugudiu (luz/Lugh+dia)/Ferne (Vernes/ Venres)

Sábado: Madadiu (menina+dia)/Xábadu (Sábado)

-Rima- (Números) []

0: seru

1: oen - oena (oinos<oinu<oen - oina<oena)

2: dou - doa (dwei<dwe<du<dou - dwa<doa)

3: trix (tisris<tiris<tris<trix)

4: cedru (kwetru<cetru<cedru)

5: coen (kwenkwe<coenca<coen)

6: seix (swexs<sweis<seis<seix)

7: seda (sextam<seita<seid<sed)

8: oidu (oxtu<oitu<oidu)

9: nof (nawan<noua<nou<nov<nof)

10: dea (dekam<deca<dega<dea)

11: oendea

12: doudea

13: trísdea

14: cedrodea

15: coingdea

16: sesdea

17: sédea

18: oideia

19: novadea

20: figõd (wikonti<ficonti<figond<figõd)

30: figõd dea

40: doufigõd

50: doufigõd dea

60: trisfigõd

70: trisfigõd dea

80: cedrufigõd

90: cedrufigõd dea

100: cãt (kantom<cantu<cant<cãt)

1.000: mil

1.000.000: milún

Primeiro: Centu/a

Segundo: Alu

Terceiro: Tridu

Quarta: Ceduar

Quinto: Coenedu

Sexto: Seixu

Sétimo: Sedau

Oitavo: Oidau

Nona: Nau

Décimo: Degau

*Rima aGantábreiha (dialeto oriental): oin/oina, du/dua, tris, cedur, coing, seis, sed, oid, nov, deh [[Arquivo:Galiciaflip.jpg|thumb|500x500px] ]

-Gramática-[]

Galiciaflip

A estrutura da frase da Galeiga é SOV, exceto em perguntas ou negações, caso em que muda para VSO

-Perguntas-

A estrutura da frase torna-se VSO. As perguntas são feitas começando com o verbo após o interrogativo.



Cadó taí ansú? (Por que tu estás aqui? Por que você está aqui)

Cede blen tá adu? (Quantos anos tens?) *Quantos anos você tem?*

Não há palavra para 'sim'. Em vez disso, o verbo é repetido na afirmação. “Ní” é “não”.

“Ezemuví az ã cordéu amareia?” (Vamos comer no pub amanhã?)

“Ezemuví”/”Ní ezemuví” (Vamos *comer*/Não vamos *comer*)



-Negações-

“Ní” precede verbos para fazer negações. O SOV normal muda para VSO.

Ní tá avi cor. (não tenho cerveja) (lit Não está a mim cerveja)

-Passado simples-

O passado simples é indicado com o marcador pré-verbial "ru-".

Cogeu mi = Cozinho

Rucogeu mi = Cozinhei

Dís ruezu cíg tourgea aga ruívu oulgur = Ontem comi carne de javali e bebi cidra.

ru+ezu+mi = comi) e ru+ívu+mi = bebi)

-Futuro-

O tempo futuro é indicado com o sufixo "-ví".

Lavrau min = falo

Lavrauví min = falarei

Amárea téduví azã cordéu = Amanhã irei à taberna.

-Posse-

"A" precede o possuidor (pessoa), se o possuidor for um objeto ou lugar, "-eu" (masc) e "-ea" (fem) são usados.

Ãi dura téuea - A porta da casa (téu+ea)

Diun sedañoizeu - Dias da semana (sedañoid+eu)

à cor a mou garañu - A cerveja do meu amigo

-Frases-

Olá: Islã adu! *saúde a ti, saúde a você* (para uma pessoa)

Olá: Islã axus *saúde a vós, saúde a vocês* (mais de uma pessoa)

Oi/Olá: Olá

Ei: Ei

Adeus: Saz adu/asus *paz a você*

Adeus: Adeu

Bareia mada – Bom dia

Diu maz – tenha um bom dia

Adag mada – Boa noite (quando chega)

Noiz mada – boa noite (quando se vai embora)

Por favor: Ma maz godu/goxus tá (lit:Se estiver tudo bem com vocês)

Obrigado/Obrigada: Sin maz bá (lit: isso foi bom)

Obrigado (muito): Sin maz dovin bá (isso foi bom para mim)

Obrigado: Sin maz adu bá (isso foi bom para ti, *isso foi gentil da tua parte*)

De nada: Nígoade es (não é nada)

Desculpe: Dor avin tá (há dor a mim)

Galeig(a) esu (min) - Sou Galaico

Eis Galeia esu (min) - Sou da Galécia

Galeiga Lavrau (min) – Falo Galaico

Ní lavrau (min) Galeiga - Não falo galálico

Galeiga biua tá – Galaico está vivo

Galei - "Povo galálico"

A lavra tau (mi) – estou falando/ estou a falar

Taí (tu) a lavra? - Estás falando?/ estás a falar?

Moa alme...es – Meu nome é...

Drui esu mi, moa camã Druizaida es – Sou um druida, meu caminho é o Druidismo

Gara avin dodu tá – eu te amo/ amo-te

Tu garau (mi) - eu te amo

Notas[]

A palavra "e" (aga) é pronunciada "ga" quando falada coloquialmente, semelhante a como a palavra basca para "e" (eta) é pronunciada "ta" na fala comum. Isto é, a menos que a palavra seguinte comece com uma vogal, caso em que "aga" é pronunciado "ag-".

"Cor aga finu" (kor-ga fiñu) - Cerveja e vinho

"Orgu aga oulu" (orgu ag-owlu) - carne de porco e maçãs

Exemplos:[]

GaleigaPort-1.jpg

ãm aga egã

En aña bría, dam eisgõ ulã egã rudergaí, oen eg carvãt trum a trag, oen lúd mag a ber, aga oen ferã treg a ber. Ã dam az egã ruseg: "En mou grí dor tá, cã fer a lá egã dergau." Ã egã rusegn: "Ousa, dam, en nou gríz dor tá cã sú dergamu: fer, ã tíerna, gõ ulã demea omtoga tes dó esoesú ou. Aga ní a dam ulã tá." Sú a clusa, dam a lana ruraz.

A ovelha e os cavalos

Numa colina, uma ovelha, que não tinha lã, viu cavalos, um deles puxando uma carroça pesada, outro carregando uma grande carga e outro carregando um homem rapidamente. A ovelha disse aos cavalos: "Meu coração dói, vendo um homem conduzindo cavalos." Os cavalos disseram: "Ouve, ovelha, nossos corações nos doem quando vemos isso: um homem, o mestre, faz da lã da ovelha uma roupa quente para si mesmo. E a ovelha não tem lã." Tendo ouvido isso, a ovelha fugiu à planície.

"Ol duña riu aga couínõ gõ díñas aga redua énen. Axis mendaida aga coufez dadu es aga dó'n maz dó oen az al en alma bradreadea ñemen".

Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir uns para com os outros com espírito de fraternidade.

"Súer eis tud ria esu min" - Dounurí

"Sou um homem livre, de um povo livre" - Dumnorix

"Ã Olzoun mou dou es, ombíod moa créz es, Tíara mou nemedún es."

O universo é meu deus, a natureza é minha fé, a Terra é meu templo.

"Sese ou, sese sú fú; sese endar, sese sú eis"

Como acima, assim abaixo; como dentro, assim fora.

"En sé gal maga es"

No silêncio há um grande poder

"En finu fiaida es, en cor lounaida es"

No vinho há sabedoria, na cerveja há alegria

"Cazufer aga selgamen a cordéu rucamen. Allã cor rudéun aga cig mada ruezen".

Um guerreiro e uma caçadora caminharam até a uma taverna. Bebiam muita cerveja e comiam boa carne.

"Tourguãi nerte agadufer es"

O javali é a força do guerreiro

"Bí ge ní bí, sú ãi argif es"

Ser ou não ser, eis a questão"

(Dãg Dem Mordorea: Ã Oen Fol)

Tris fol dó'n reí elfeg fú nefu, séda dó'n tíernã anãneg en siu hala crougea, nov dó Fír Marvuz a marve tongedu, Oen dó'n Tíerna Dem en soi rígadér dem en tirra Mordorea có ã iscaua lé. Oen Fol az ol ríga, Oen Fol axis entoag, Oen Fol az ol trá aga en demen ré en tirra Mordorea có ã iscaua lé.

(Discurso Sombrio de Mordor: O Um Anel)

Três Anéis para os reis élficos sob o céu, Sete para os senhores anões em seus salões de pedra, Nove para Homens Mortais condenados à morte, Um para o Senhor das Trevas em seu trono sombrio Na Terra de Mordor, onde jazem as Sombras. Um Anel para governar a todos, Um Anel para encontrá-los, Um Anel para trazê-los a todos e na escuridão prendê-los Na Terra de Mordor, onde jazem as Sombras.

  (Óedã Ogaida Noidea) Noid toag, aga nú moa ogaida fudroazá. Ní eñá í co mou maru. Ní gaveuví baina, ní bí avi tírra, ní bí avi gentí. Ní bí avi coroa naga feuví mi glór. Biuauví aga marveuví en moa varda. Claiv en ã demen esu. Ogufer en ã falí esu. à isceu u vard à rigádà afÃr esu mi. Moa bioda aga mou briu óedu mi azãi Ogaida Noidea, dó sú noid aga ola noida a toag.

(Juramento da Patrulha da Noite) A noite chega, e agora minha vigília começa. Ela não terminará até a minha morte. Não tomarei esposa, não terei terras, não terei filhos. Não irei usar coroas nem ganhar glória. Viverei e morrerei em meu posto. Sou a espada na escuridão. Sou o observador nas paredes. Sou o escudo que guarda os reinos dos homens. Prometo minha vida e honra à Patrulha da Noite, nesta noite e em todas as noites que virão.

Verbos e Vocabulário[]

Arquivo:Galcastroviladonga.jpg

Conjugações: Presente, Passado, Futuro, Condicional[]

Pronomes pessoais são usados só para enfatizar

-Gara- Amar (presente)

Garau mi - Amo

Garaí tu – Amas

Garaide sus – Amais

Garamu nin – Amamos

Gará e – (Ele) ama

Gará si – (Ela) ama

Garã sis – Amam

(Passado)

Rugarau mi - Amei

Rugaraí tu - Tu Amaste, Você amou

Rugaraide sus: vocês amaram

Rugaramu nin: Nós amamos/ Nós amámos (pt-pt)

Rugará e: Ele amou

Rugará si: Ela amou

Rugarã sis: Eles amaram

(Futuro)

Garauví mi : Amarei

Garaíví tu: Tu amarás, você amará

Garaideví sus

Garamuví nin

Garáví e

Garáví si

Garanví sis


(Condicional)

Rugarauví mi - Eu amaria

Rugaraíví tu

Rugaraideví sus

Rugaramuví nin

Rugaráví e

Rugaráví si

Rugaranví sis


Todos os sufixos dos pronomes pessoais são usados para ênfase. Em vez de dizeres: "Cor garau mi", podes simplesmente dizer "Cor garau".

Verbo 'ser'/'estar' "Bí" (impermanente) - "Senu tau" (Estou velho)

Tau- Eu sou, eu estou

Taí – Tu és, tu estás

Táide – Vós sois, Vocês são, vós estais, vocês estão

Támu – Somos, estamos

Tá – Ele é, ele está

Tá – Ela é, ela está

Tã – Eles são, eles estão

Verbo 'ser' "Bí" (permamente) - "Fer esu" (Sou um homem)

Esu - Sou

Esí - És

Eside - Sois

Esmu - Somos

Es - Ele é

Es - Ela é

Esã - São

Arquivo:CorFinu.jpg

[]

Bia aga Íva (Comidas e Bebidas)[]

"En fínu fiaida es, en cor lounaida es."

"No vinho há sabedoria, na cerveja, alegria."

To Drink (alcohol): Déu (p.c. Degu-)[]

Beber: Íve

Comer: Eze (ede)

Fazer, criar: Ou (p.c. auo-)

Cozer, cozinhar: Coge

Água: Douru (p.c. dubro-, b. dour, pt. "rio Douro")

Cidra: Oulgor (p.c. abalocourmi, "cerveja de maçã")

Cidra: Sidra

Hidromel: Meu (Mezu-, mezucenus - MEDVGENVS < *medhu)

Cerveja: Cor - Corma

Cerveja tipo 'ale': Alu - Alu

Cerveja Lager (Cerveja mais leve): Cervexa - Cervexã (Gl. via Lt. "Cervesia")

Vinho: Fínu - Fínu

Licor, Aguardente: Tinzouru (lit: Fogo-água)

Mel: Mel

Fruto, fruta: Tourad - Tourada [OIr. torad

Maçã: Oul - Oulu

Baga: Cara - Cará

Uva: Fínugara (Baga do vinho)

Carne: Cigu - Cíu

Ovo: Uf - Ufa

Semente: Sil - Sila (c.i. *silon "semente")

Pão: Arã

Trigo: Venez

Leite: Laid (p.c. laxto-)

Queijo: Ceis

Manteiga: Mã (p.c. amban-, w. menyn, b. amann, pt. manteiga)

Sopa: Couxal (com+sal)/Sopa

Erva, vegetais: Lú (p.c. *lubjo-)

Pimenta: Pibra/Tinllú (erva de fogo)

Sal: Sal

Tempero, especiaria: Ispexaria

Café: Café

Lanche: Bia bea (pequena comida)

[]

-Verbos Básicos-[]

…eisvi tá – Eu quero… ("...está a partir de mim")

"Ced corma eisdu tán?" (Quantas cervejas tu queres??) *Quantas cervejas estão a partir de ti?*

…avi tá – Eu tenho ( "...está a/em mim") *usado para posse em geral

"Greña avi tá" (tenho uma barba) *Barba está a/em mim*

…gõvi tá – Tenho… (“…está comigo) *usado para algo que está perto ou possessão pessoal

"Doa cor gõvi tán" (Tenho duas cervejas) *Duas cervejas estão comigo*

Ir(-se): Teid

Vir: Toag

Andar: Cam

Passo/Marcha: Cing

Correr: Raz

Viajar: Camína

(Viagem, Passeio: Caminagda)

Falar: Lavra

Arquivo:Galcast.jpg

Cantar: Cana

*Ru = prefixo ou partícula pré-verbal (passado)

Rucana --> Tempo passado para 'cantar'

Falei: Rulavrau mi

Vou falar: Lavrauví mi

*-oun = ocupacional/sufixo de ação

Canoun: Cantor

Cantor: Canoun

Dizer: Seg

Respirar: Ana

Ouvir: Clusa

Escutar: Ousa

Ver: Derga

Crer, acreditar: Cre (p.c. kred-)

Pensar: Mene

Saber: Fé (p.c. weid-)

Lembrar(-se): Gume

Esquecer(-se): Anhume (an+gume)

Fazer,criar: Ou (gl. auot-)

Tocar: Táze

Dar: Dá

Tomar: Gave

Seguir: Sege

Guiar: Gene

Cobrir(-se): Agasalla (Latin *ad-gasaliare, from Visigothic *gasalja)

Nascer: Éne (*Éndu bíz)

Conectar: Coudáze (Coudáz "connection")

Fumar: Ismugu

Sonhar: Asuñe

Dormir: Suñe

Despertar-se, acordar: Dixuñe

Matar, assassinar: Mara

Abraçar: Abrage

Abraçar apertado: Agarre

Possuir: iga

Quebrar: Brei (p.c. breg-)

Ligar,acender (as luzes): Ou í cañu ("Fazer [isso] brilhar")

Desligar (as luzes): Ou í dem ("Fazer [isso] escuro")

Ligar (som): Ou í arzu ("Fazer [isso] alto)"

Desligar (som): Ou í sez ("Fazer [isso] quieto /pacífico")

-Milua- (Animais)[]

Cão: Cú - Cún

Cão de caça: Árgu - Árgun

Arquivo:Boar.png

Lobo: Blez - Blezda

Lobo: Fael - Faelu

Urso: Ardu - Ardun

Gato: Gatu – Gatun

Cavalo: Eg - Egaí

Égua: Egua - Eguaí

Bode e Cabra: Gavru - Gavrun

Touro: Tarvu, Touru - Tarvun, Tourun

Falcão: Alcún - Alcúña

Corvo: Boua - Bouã

Corvo: Grou - Groua

Javali: Tourgu - Tourgun

Porco: Orgu – Oríu

Galinha, Galo: Cerga - Cergã

Vaca, Boi: Bú - Búi

Dente: Dãt - Dãta

Garra/Garra de aves: Garra - Garrã

Árvore: Crã – Craña

Flor: Blaza - Blazã

Folha: Dula - Dulã

Peixe, Pescado: Esca - Escã

Coelho: Conenu - Conenun

Rã, Sapo: Sapu - Sapun

Serpente, cobra: Nadra - Nadrã

Ave, pássaro: Eznu - Eznua

Ganso: Gíurra - Gíurrã (Gigurri, povo asturiano, Pliny NH, III, 28)

Abelha: Beu (p.c. beko) - Bevã

Pena: Éla (p.c. edel-) - Élã

Pena: Bluma - Blumã

Corno, Chifre: Carn - Carna

Corno, Chifre: Ázar - Ázara (bsq. Adar, ir. Adharc)

Lã: Ulã

Dragão: Drag - Dragún

Unicórnio: Ongarn - Ongarna

Duende, Gnome: Dõd (pt. duende, pg. demd, sw. tomte)

Arquivo:CelticSea.png

-Tír aga Mór (Terra e mar)[]

Terra (planeta) – Tíara

Sol: Soul (sauelos>souelos>souelu>souel>soul)

Lua: Lugra

Lua: Geleig (ir. gealach)

Colina: Bría (briga) – Brí

Montanha: Carná - Carnái

Montanha rochosa: Carvu - Carvun

Vale: Comba - Combã

Neve: Isneaida

Neve (a que está a cair): Neve

Gelo: Ái (p.c. iagi)

Rio: Amona (Abona)

Mar: Mór

Baía, Enseada: Mórcambe (sea bend) and Bái (bsq.)

Ilha: Enis

-Objetos, Meio-Ambiente, Lugares etc.-[]

Arquivo:Galcastro.jpg

Livro: Liru - Lirua

Igreja: Grexa

Roda: Roa - Roã (older "roda")

Cesto de palha: Gís (p.c. kistā)

Saia escocesa: Sái (sagia) - Saí

Saia: Sáia (sagia) - Sáiã

Camisa: Camixa - Camixã (gl. via lt. Camisia)

Cachimbo, charuto: Piba

Charuto: Ismugarna (ismugu+carna)

Cama: Cama– Camã

Casa: Téu – Teí

Lar (casa própria): Tref (c.i. Trebo-; W. tref)

Colmeia: Beudref

Porta: Dura - Durã

Portão: Magadura (porta grande)

Cidade: Gorta - Gortã (c.i. korta)

Bairro, Vizinhança: coudref (con+trema)

Lago: Logu – Loí

Ponte: Breva - Brevã (c.i breua/p.c. brīwā)

Terra, chão, terreno: Tirra

Campo: Lana (p.c. landa)

Nação: Genedlu (p.c. kenetlom)

Nacional: Genedleg/a

Nacionalism: Genedlegagda

Baía: Bai - Baia *Ibr.Bsq.

Terremoto, terramoto/Avalanche/avalancha: Lurte *bsq.

Madeira: Fí - Fíza

Floresta: Cá - Caí (older "cada")

Deserto: Cavarva, Cavoura (cá+marva "dead forest"| cá+maura)

Flor: Blaza - Blazã

Árvore: Crã - Craña

Céu (físico ou abstrato): Nefu

Vento: Ouél (c.i. auilio-)

Relâmpago: Lugeia (p.c. *luceca)

Trovão: Tarã (p.c. *tarano-)

Grama, relva: Faldula (faltu+dula)

Pedra: Crouga - Crougã (old glc.)

Rocha: Craf - Crava

Sombra: Iscau - Iscaua (older "iscadu")

Batalha: Cau - Caua (older "cadu")

Guerra: Cougau

Guerra: Verra

Guerreiro: Caufer

Soldado: Cingez

Caça: Selga

Vitória: Séu (sego)

Guarda: Varda (Visigothic wardja, from Germanic wardaz, from the IE root *wor-to-)

Guardião: Vardiã (Visgothic wardjan accusative of wardja)

Vagão: Vagã

Vagão: Carrún/Carvãt

Carro: Carru

Carga: Ludu (p.c. luxto-)

Espada: Graivu (gl. cladibu)

Escudo: Isceu (do mais antigo"iscedu")

Gaita Galega (de foles): Cãtluburgu (saco de canções) e Gaida

Gaita de boca, Gaita de beiços: Caf-a-drui (Druid's mouth) and Cavarpa (cav+arpa)

Bolsa/ Sacola: Burgu (p.c. bolgos)

Cobertores: Gasallu (Latin *ad-gasalia, do Visigótico *gasalja

Giagante: Cour (p.c. cauar-; "Serra do Courel" Galiza: courel = pequeno gigante)

Europa: Euroba

Reino: Rigaida

Base: Bun (p.c. bonu-)

-Tuda aga ã Bioda- (Pessoas e Corpo)[]

Arquivo:Gallaicwar.jpg

Família: Clã - Clãda

Família: Teusloa - Teusloi

Ancestral, Progenitor: Cinadre - Cinadrí

Grupo: Isloa

Pessoa: Dun

Povo/Tribo: Tuda

Homem Fer - Homens: Fír

Mulher: Bena - mulheres: Una (p.c. mna)

Marido: Fair - Faír

Esposa: Baina – Unaida (mnaid-)

Pai: Adre - Adrí

Mãe: Madra - Madrã

Filha: Doadra - Doadrã (c.i. Tuater)

Filho: Mah (o.r. Maqqi) – Maí

Criança: Gente (c.i. Centis) - Gentí

Irmão: Bradre - Bradrí

Irmã: Soisra - Soisrã

Neta: Neta - Netã

Neto: Netu - Netun

Avô: Senadre, Senfadre - Senadrí

Avó: Senvadra - Senvadrã

Rapaz, Garoto: Meninu

Rapaza, Garota: Menina

Amigo: Garañu/a

Vizinho: Counes (c.i. Couneso)

Senhor: Tíerna

Rei: Rí - Reí

Rainha: Ríana - Ríanã

Povo/gente/grupo de pessoas: Feren

Celta: Celda

Céltico: Celdea

Linguista: Dãgafer/Dãgamen (dãg+ben) Dãgaroun

Cidadão: Gohorta (ex. mitbürger)

Caçador/Caçadora: Selgafer (male) Selgamen (female)

Líder, o cabeça: Genfer/Genmen

Cabeça: Gen – Geñu

Orelha: Grusa - Doahrusa (clusta)

Mão: Lama – Doallama

Braço: Braga – Doabraga

Perna: Gar – Doahar (p.c. garri)

Pé: Troaz (p.c. Troget) – Doadroaz

Olho: Ogu - Doaogu

Cabelo, Pelo: Faltu

Nariz: Isrona (srona)

Face, cara: Aida (agita)

Boca: Caf (c.i. cab *gob*), Bouca

Sangue: Crou

Barba: Greña - Grenda

Bigode: Grendel - Grendela

Cérebro: Engen ("na cabeça", ir. inchinn)

Coração: Grí

-Melma, Alma, Fiagda- (Mente, Espírito, Conhecimento)[]

Arquivo:Galiciamamoa.jpg

Divindade: Dou – Dova

Alma: Arma - Armã (alma)

Respiração, Fôlego: Ana

Universo: Olzounu (ol+dounu)

Mundo: Dounu

Vida: Bioda

Encanto, feitiço: Brí (gaul. brixt-)

Magia: Suz (p.c soito-)

Devaneio: Dovaneh

Palavra: Oidlu - Oidlun

Discurso: Rá (p.c. rad-)

Verdade: Firen - Firená

Sonho: Asuñu

Jornada Espiritual (Ritual Psicodélico): Maruel (Pequena morte, mortezinha)

Bruxa: Sorgin *bsq.

Sacerdote, druida: Drui – Druiza

Sacerdotisa, druideza: Druis - Druisa

Sacerdócio: Druizada

Irmandade: Bradreada

Ancestral: Ginazre

Sabedoria: Fizada

Carvalho: Dara – Darã

Carvalho: Carva (glc.) - Carvã

Carvalho: Cerca ( nome da tribo Querquerni , qu vem de *kʷerkʷ- < PIE *perkʷ- 'carvalho, árvore') - Cercã

Sacro, sagrado, santo: Noufu

Arvoredo Sagrado/Templo/Grande Carvalho: Nemedún

Arvoredo de Carvalhos: Druñemedún

Norte: Toze

Este, Leste: Ure

Oeste: Fó

Sul: Deise

Solstício: Soulistã

Equinócio: Somnoiz

Primavera: Éreig

Verão: Sam

Outono:

Inverno: Gaiam

Samhain /samín/: Sameña

Fada, duende: Sá (sé/sez: paz/quieto) (cf. o mais antigo "sada")

Desejo: Sirada

Poder: Gal

Força: Nerte

Forte: Nertea

*Submundo/o Além: Anzounu (Antumnos)

Cernuno: Cernuñu

Língua: Dãg (Tongue: Dãgua)

Linguagem: Xaiz (Brt. Iaxti)

Amor: Garaz

Saúde: Islã

São, Saudável: Islanu/a

Estrela, astro: Saruña – Saruñaí

Galáxia: Saruñasloa (lit. grupo de estrelas) - Saruñasloi e Galácsia

Fogo: Ten

Chama: Tenel

Faísca: Falisca (Galego, falisca = spark, do Visigodo ou Suevo *falwiskan. Cognato com Sueco falaska, Alto-Alemão Médio valwische *falwiskō, Nórdico fọlski)

Crença: Creiv (p.c. credim-)

Religião, credo: Relixiún

Mente: Melma

Fumaça, Fumo: Ismugu

Fumar: Déusmug, (lit. "drink smoke")

Incenso: Mugllú

Maconha, Cannabis: Canva/Cáñamu

Cânhamo: Coúrg (p.c. kom-wark)

Elfo: Elfu

Anão: Anã(n)

-Adjetivos-[]

Bom/bem: Maz(a)

Bom: Dagu/a

Mal: Drugu/a

Verdadeiro: Fir

Novo: Noi(a)

Velho: Sen(a) (p.c. seno-)

Jovem: Oang/Oaña (p.c. iovanca)

Quente (senso lato): Au(a) (p.c. aidu-) *auz "calor"

Quente (agradável): Tesmu/a

Gelado: Oru/a (p.c. ougros)

Congelante/de gelo: Couáidu/a

Início: Fudroaz (uφo-troget)

End (físico): Orgeñu (uφer-kʷenno)

Fim (abstrato/temporal): Eñá (p.c. indo-)

Esquerda: Esger/a *Ibr.Bsq.

Direita: Deis/a

Cheio, pleno: Lã

Grande: Mour

Grande, Enorme: Mah - Maga (c.i. magu-)

Pequeno, parvo: Bé/Bea - (p.c. bikko) (cf. uma versão mais antiga "beg")

Gigante: Coureg

São, saudável: Isláneg

Redondo Cruñu/a (p.c. krundi-)

Morto: Mouru/Moura, Marvu/a (Morrer: Moure; Morte: Maru)

Feliz: Loun

Livro: Riu/a

Igual: Inõ (*o escolhido, "igualdade" inonas)

Consciente: Enfizeg(a)

Escuro: Dem (Trevas, escuridão: Demen)

Brilho: Cañu/a

Luz: Glustu/a

Luz: Luge

Reto: Reu/a (reto-)

Profundo: Dunu/a - (p.c. dubno-)

Limpo: Glanu/a

Negro, preto: Dóu (p.c. dubu-)

Alvo, Branco: Ven(a)

Vermelho: Rou/a (rodo-)

Verde: Glasula (leaf blue)

Azul: Glasu/a

Marrom, castanho: Dõ

Amarelo: Melin

Ouro, Dourado: Our(du/a)

Prata, Argênteo: Arhãt(u/a) *argant-

Muitos: Allã (at full)

Outro: Ala

Todos, tudo: Ol(a)

Todo, cada: Gacu/a

relativo ao Carvalho: Dru(a)

Forte: Nerte

Sábio: Sufí (bom conhecimento, p.c. suvid-)

Nascido: Éndu

Nascimento: Én

Doce (adj): Melu/a

Grudento, Melequento: Meleg(a)

Cru: Crú(a)

Bonito: teg(a)

Lindo: fem(a)

Primeiro: Centu/a - (do PCl *kintu- 'primeiro')

Elevado/Eminente/Nobre: Bríãt (c.i. brigant-)(cf. Bragança, Brigantia (antigo nome de A Corunha, Brianza (ITA), Briançon (FRA), Bregenz (AUT))

Alto: Arzu/a

Baixo: Iselu

Longe, distante: Cel/En siru

Perto: Nes

Longo, comprido: Longu/a Siru/a

Curto, Breve: Gerru/a

Meio: Mei (p.c. medi)

Dependente: Ceneña

Independente: Digeneña

Arquivo:Galiciacastro.jpg
Advertisement