Conlang
Advertisement


Giptanês (Giptanes ŝprekler) é um idioma germânico vagamente aparentado ao Esperanto falado em dois locais no universo da história em quadrinhos O Super Anfonídeo : o distrito engen de Juniperstad, localizado na Rússia, e um pequeno país no Oceano Pacífico, Melquisedec. Também conta com certo número de falantes na Nulândia (outro país fictício dos quadrinhos) e no distrito engen de Sant' Johanes, Austrália. O idioma lembra vagamente o inglês, mas com a pronúncia similar à do russo, traços de alemão e português e assemelha-se superficialmente ao Esperanto no seu modo de escrita. Tanto o idioma quanto a história em quadrinhos foram criados pelo brasileiro Júlio César de Athayde Rabelo, natural da cidade de Nova Venécia, estado do Espírito Santo.


História da língua nos quadrinhos[]

O Giptanês é uma língua falada principalmente por criaturas não-humanas racionais (engens) que habitam a Terra em meados do século 22, frutos de experimentos genéticos muitas vezes ilegais feitos por cientistas humanos.

Na Europa, durante uma grande série de guerras, essas criaturas foram perseguidas e exterminadas em grande escala, e várias delas formaram vários grupos e se refugiaram em locais de difícil acesso. Entre várias outras dificuldades, essas criaturas tiveram que enfrentar um grave problema de comunicação: sendo oriundos de várias nacionalidades diferentes (americanos, ingleses, holandeses, alemães, russos etc) e muitos falarem apenas a língua nativa, a comunicação do grupo, essencial para manter a segurança contra os ataques, era impossível. Eles precisavam desenvolver às pressas um modo para se comunicar. Uma das soluções viáveis encontradas foi o Esperanto, que seria utilizado como idioma auxiliar no grupo devido à sua facilidade de aprendizado. Mas devido a vários fatores, como a necessidade urgente de se organizarem, os engens de um refúgio na Rússia, a maioria da espécie reptiliana dos Giptanídeos, acabou desenvolvendo uma linguagem rudimentar que misturava Esperanto, inglês e alemão numa língua crioula que acabou se tornando bem-sucedida e corrente pelo grupo. Este dialeto misturado ficou conhecido como dialeto giptânico (em alusão aos giptanídeos). O grupo de engens falantes deste dialeto começou a se desenvolver e criaram uma cidade num local desabitado da Rússia, que mais tarde se tornaria a grande metrópole de Juniperstad.

O grupo de engens começou a crescer e desenvolver uma cultura própria, e inclusive buscaram um modo de regularizar e padronizar o dialeto giptânico, que até então era uma mistura desorganizada de idiomas com alguma tentativa de regularização nos moldes do Esperanto. A partir do dialeto, linguistas engens criaram um idioma semi-artificial e regular, de origem primariamente germânica e aparentado ao inglês, que ficou conhecido como Giptanês.

por ser difundido para diversos outros grupos em situação semelhante.

Atualmente na história, há falantes de Giptanês em todos os continentes, sendo o idioma oficial de Juniperstad (onde ele nasceu) e co-oficial da República de Melquisedec (ao lado do inglês), além de ser falado por minorias em diversos locais habitados por engens.


Dicionário[]

Um pequeno dicionário Giptanês-Português com algumas milhares de palavras catalogadas está disponível para leitura e download neste local: [1].

Gramática[]

1- Estrutura

O Giptanês é um idioma do tipo sintético flexivo, de forma semelhante ao português, mas mostra também traços analíticos. Sua morfologia, tal como português e inglês, é do tipo SVO (Sujeito-Verbo-Objeto), embora comumente seja invertida para VSO (Verbo-Sujeito-Objeto) em frases interrogativas, semelhante ao inglês. É considerado uma língua germânica ocidental, semelhante ao inglês, holandês e alemão. Seu léxico (conjunto de palavras) é em grande parte derivado do inglês, bem como de outros idiomas germânicos e Esperanto, além de alguns termos oriundos do eslavo. Uma característica do idioma é a sua grande regularidade, o que torna suas regras relativamente fáceis de serem assimiladas.


1.1- Alfabeto e Pronúncia

O Giptanês é um idioma fonético em que cada letra (exceto o C) possui sempre um único som básico em todas as palavras. Ele é único entre os idiomas de base germânica pelo seu modo de escrita e também pela fonologia mais parecida com a das línguas eslavas.

Seu sistema de escrita é o alfabeto latino modificado, baseado no do Esperanto com algumas poucas modificações. O alfabeto Giptanês é composto por 30 letras, que são todas as letras comuns do alfabeto latino (exceto w e y) mais seis caracteres especiais que são considerados letras distintas: č, ĝ, ĥ, ĵ, ŝ e ŭ. Os cinco últimos também são encontradas no idioma Esperanto (que também tem o caractere ĉ, semelhante ao č giptanês), o que torna os dois idiomas superficialmente semelhantes.

As letras do giptanês, seus nomes e respectivas pronúncias são:

A (a) - Como o A português em água.

B (be) - como em barco

C (ce) - Pronunciado como K diante das vogais A, O e U, antes de consoantes e no fim das palavras, e como TS antes de E ou I. A letra C é relativamente rara e é utilizada principalmente com as vogais E e I.

Č (če) - Pronunciado TCH, como em tchau.

D (de) - D de dado. Pronunciado como em espanhol, igual para todas as vogais (di não soa "dji" como em vários dialetos do português).

E (e) - Pronunciado como um E fechado (som de "Ê") ou moderado, tornando-se aberto (som de "É") quando recebe acento agudo.

F (éf) - F como em fogo.

G (ge) - G "duro" como em gato, guerra e guizo, nunca o G "mole" (com som de J) como em gelo e giz (ge e gi se pronunciam "gue" e "gui").

Ĝ (ĝe) - J inglês como em John.

H (he) - H aspirado como o da língua inglesa em palavras como hot dog.

Ĥ (ĥa) - Som de H aspirado forte, mais gutural, como o J espanhol em mujer.

I (i) - I forte como em ilha.

J (je) - I fraco, semivocálico, como em boi.

Ĵ (ĵe) - Mesmo som do J português, como em janela.

K (ke) - C como em casa, ou o K como em kiss.

L (él) - Como em lâmpada. Soa como o L espanhol, nunca se tornando o som de U fraco antes de consoantes ou no fim da palavra como em português.

M (em) - M como em macaco. Não nasaliza as vogais.

N (en) - N como em navio. Não nasaliza as vogais.

O (o) - Pronunciado como um O fechado (som de "Ô") ou moderado, tornando-se aberto (som de "Ó") quando recebe acento agudo.

P (pe) - P como em pato.

Q (qiŭ) - Soa como um K suave e gutural, inexistente em português.

R (ér) - R sempre vibrante como o da língua russa, como em coragem. Nunca é pronunciado como RR em português ou H inglês.

S (és) - S forte e sibilante como em saudade ou assado, nunca soa como Z ou SH.

Ŝ (éŝ) - Som de SH como em sheriff, CH português como em chato, ou X como em xícara.

T (te) - T como em tatu. Pronunciado como em espanhol, igual para todas as vogais (ti não soa "tchi" como em vários dialetos do português).

U (u) - U forte como em urso.

Ŭ (ŭós) - U fraco e semivocálico como em quatro ou W inglês como em web.

V (ve) - V como em vasilha.

X (iks) - KS, como em fixo; nunca SH ou Z. O X em giptanês é pouco usado e não inicia palavras.

Z (ze) - Z como em zebra.

Notas:

  • Os caracteres especiais deste idioma são lidos como letras distintas e independentes no alfabeto e não como uma variante acentuada das letras comuns. Os sinais diacríticos sobre essas letras, portanto, não são considerados acentos (de forma semelhante aos pingos das letras i e j em português).
  • O giptanês não utiliza as letras w e y, uma vez que elas possuem, respectivamente, o mesmo som que ŭ e j ou i. Como o giptanês não admite letras diferentes com o mesmo som (exceto para o caso do C e K), elas são desnecessárias e não utilizadas, exceto em nomes estrangeiros não-traduzidos.
  • Os únicos dígrafos permitidos no Giptanês são e rr, ainda que esse último seja relativamente raro. Diferentemente do português (e mais semelhante ao espanhol), o rr soa como um único r mais longo.
  • As letras m e n não nasalizam as vogais que o precedem, ou o fazem de forma sutil, pouco acentuada (dependendo do dialeto).


1.2- Regras de Acentuação Gráfica

As palavras do idioma giptanês são em sua maioria paroxítonas, isto é, com a sílaba tônica na penúltima vogal (lembrando-se que o ŭ não é uma vogal). No entanto, diferentemente do Esperanto, esse padrão não é rígido: várias palavras do giptanês também possuem como sílaba tônica a última ou (muito mais raramente) a antepenúltima. E sempre que uma palavra não segue o padrão paroxítono, ela obrigatoriamente deve receber um acento tônico na sílaba tônica não-paroxítona como modo de evitar ambiguidades de pronúncia entre as palavras, o qual deve ser representado graficamente. Portanto, Todas as palavras oxítonas (cuja sílaba mais forte é a última) e proparoxítonas (antepenúltima) devem ser acentuadas em giptanês, sem exceção.

O Giptanês possui dois tipos de acentos gráficos utilizados para tornar mais clara a tonicidade das palavras (desconsiderando, como já visto, os sinais sobre letras como č, ŭ e ĥ):

  • Acento agudo (´): é usado para acentuar as vogais em palavras oxítonas e proparoxítonas (mais raras), além de monossílabas com E ou O abertos. Este acento não altera os sons de a, i e u, mas torna as vogais e e o abertas.

Ex:

Adrés (endereço); jés (sim); ŭós (por que?); ŝampú (xampu); ananás (abacaxi).

  • Trema ou umlaut (¨): Usado apenas em E e O das palavras não-paroxítonas para fixar seu som fechado após a acentuação, uma vez que o acento agudo os tornam abertos. Corresponde à função do acento circunflexo em português.

Ex:

Kafëj (café); vestklös (roupeiro); treŝpölt (lixeira).

Palavras monossílabas que possuam as letras e ou o abertas devem ser acentuadas com um acento agudo. O trema não é usado em monossílabos pois essas letras não acentuadas são sempre fechadas.

1.3 - Uso do Apóstrofo

O apóstrofo (plik zajn) é um sinal utilizado para indicar contração de palavras, supressão de algumas letras, geralmente realizada no âmbito do discurso informal ou em poesias. Este sinal geralmente se utiliza para suprimir a última vogal de determinadas palavras em alguns contextos, de forma a melhorar ou simplificar a pronúncia de algumas palavras numa fala rápida.

É utilizado, entre outros, nos seguintes casos:

  • Com o verbo irregular is (verbo vie conjugado na segunda e terceira pessoa do singular).

A forma verbal is é geralmente contraído para 's diante de algumas partículas interrogativas como ču, ŭie, huen, etc; bem como os pronomes pessoais de terceira pessoa do singular (dej, ŝi e dit).

Dit's maj bejd. (Esta é a minha cama)

Ŝi's ver ĝojan. (Ela é / está muito alegre)

Dej's tre iklan! (Ele é tão feio!)

Ŭie's maj ŝaŭn?! (Onde está o meu sapato?)

Ču's ju rejdan? (Você está pronto/a?)

Huen's ŝi? (Quem é ela?)

  • Com o pronome relativo haŭle, que frequentemente tem o e final suprimido em conversas informais. (haŭle > haŭl')

Haŭl' du najz dija! (Que dia ótimo!)

Haŭl’ du frizan... (Que frio…)

Ŝi is anger haŭl' an leona. (Ela é brava como uma leoa.)

  • Na expressão dank' al - graças a (dankon > dank').

Ja vis godjan, dank' al Dio. (Estou bem, graças a Deus.)

Ju ne lusej jor vork, dank' al maj helpan. (Você não perdeu o seu trabalho, graças à minha ajuda.)

  • Na contração do adjetivo godjan, geralmente em cumprimentos. (godjan > god')

God' vesper, maj frejd! (Boa tarde, meu amigo!)

God' lukan! (Boa sorte!)

God' vork, de maj diar. Ju viej inkrible. (Bom trabalho, [meu] querido. Você foi incrível.)

  • Para suprimir as terminações verbais, quando o contexto assim permite (por exemplo, em interjeições).

Kis' mi, da maj diar!  (Me beije, querida!)

* kises > kis'

Dit ne vork' majer ŭit mi. (Isso não funciona mais comigo.)

* vorka > vork'

Ču ŝulda ju help' mi al vaŝle dus tajlers? (Você poderia me ajudar a lavar a louça?)

* helpe > help'

Dit ne zorg' al mi. (Isso não me preocupa)

* zorga al > zorg' al

Gaŭ' vur dit, druge! (vai nessa, cara)

* gaŭes > gaŭ'

Nota:

Ao aplicar apóstrofo sobre uma palavra paroxítona, suprimindo sua última vogal, ela automaticamente se torna oxítona. No entanto, apesar de fugir ao padrão paroxítono, a palavra apostrofada não recebe acento tônico, uma vez que a palavra original era paroxítona. Essencialmente, o apóstrofo funciona como acento nesses casos.

Bedaŭres mi (me desculpe) > Bedaŭr' mi (e não "Bedáŭr' mi")

No caso da palavra apostrofada ser originalmente proparoxítona (que sempre recebe acento gráfico), ela passa a ser paroxítona, mas não perde o acento, uma vez que é subentendido que ela é originalmente proparoxítona.

Átomo > Átom' (e não "Atom' ")

Palavras proparoxítonas são muito raras no idioma, portanto esse último caso é pouco frequente.


1.4- Gêneros

O Giptanês possui três gêneros gramaticais: masculino, feminino e neutro. O gênero masculino é utilizado para representar entes sexuados masculinos, o feminino para representar entes sexuados femininos e o gênero neutro para representar geralmente conceitos abstratos, objetos / coisas assexuadas. Os substantivos e artigos são fortemente flexionados em gênero, bem como os pronomes pessoais de terceira pessoa. Adjetivos geralmente não são frequentemente flexionados em gênero. Pronomes demonstrativos são comuns de gênero, servindo para indicar palavras de quaisquer gêneros. Todos os numerais e verbos são sempre de gênero neutro.

  • O gênero masculino é utilizado para entes sexuados masculinos tais como pessoas ou animais de sexo masculino.

Man (homem), bovo (boi), ĥojno (galo), hundo (cachorro macho), fotar (pai)

  • O gênero feminino, igualmente, é aplicado na denominação de entes sexuados femininos, como pessoas e animais de sexo feminino.

Fem (mulher), bova (vaca),  ĥojna (galinha), hunda (cadela), mater (mãe)

  • O gênero neutro, na maioria das vezes, é usado para identificar entes assexuados tais como objetos inanimados ou criaturas de sexo desconhecido, bem como conceitos abstratos. Também é usado para coletivos quando há indivíduos de ambos os sexos presentes.

Ĝen (indivíduo qualquer), bovan (cabeça de gado), ĥojnan (galináceo), hund (cachorro qualquer), parents (pai + mãe)

1.5 - Genitivo

O caso genitivo é um caso gramatical que indica uma relação, principalmente de posse, entre o nome no caso genitivo e outro nome. Em um sentido mais geral, pode-se pensar esta relação de genitivo como uma coisa que pertence a algo, que é criada a partir de algo, ou de outra maneira derivando de alguma outra coisa.

Em giptanês, o caso genitivo é gerado colocando-se o nome do possessor seguido do objeto possuído, com uma partícula genitiva entre eles, padrão semelhante ao observado em algumas línguas germânicas como inglês e frísio. Estas partículas coincidem com os pronomes possessivos e se diferenciam para cada um dos três gêneros, sempre concordando com o gênero do respectivo possessor.

As partículas genitivas são:

  • Masculino: der(s)
  • Feminino: her(s)
  • Neutro e Coletivo: ĝer(s)

Ja gaŭa ĝis de Johan der hajm. (Eu vou até a casa do Johan.)

Diz is da Pavlin her baŭk. (Esse é o livro da Pavlin.)

Dat hund ĝer lek is vunden. (A perna daquele cachorro está ferida.)

Diz is maj parents ĝers bejder. (Este é o quarto dos meus pais.

Hie is de maj ed de maj fridan ders vendeja. (Aqui é a loja minha e do meu irmão.)

A frase também pode ser construída substituindo-se a partícula genitiva pela preposição of (de), como em português. No entanto, tal construção muitas vezes deixa a frase mais longa e menos prática. Pegando como exemplo o primeiro caso acima:

Ja gaŭa ĝis du hajm of Johan. (Eu vou até a casa do Johan.)

Neste caso não houve muita mudança na complexidade da frase.

2. Classes Gramaticais

2.1- Substantivos

Substantivos ou nomes são palavras utilizadas para designar entes físicos ou abstratos, tais como objetos, seres vivos, sentimentos, etc. Em suma, denominam tudo o que, real ou imaginário, existe ou se supõe existir. São palavras variáveis, sujeitas a declinações de gênero e número (singular ou plural).

Embora não haja um padrão rígido de desinências marcadoras de gênero no idioma, com frequência é possível identificar o gênero gramatical das palavras por suas terminações:

  • Substantivos de gênero masculino, via de regra, terminam com a vogal -o.

Maj gato is vokiĝen Kajel. (Meu gato [macho] chama-se Kajel.)

  • Substantivos de gênero feminino, via de regra, terminam com a vogal -a.

Der edza is maj frida. (A esposa dele é minha irmã).

  • Substantivos de gênero neutro, via de regra, terminam com a desinência -an.

Du artverkan viej ŝtelen vun diz muzëŭm a jester. (A [neutro] obra de arte foi roubada deste museu ontem.)

Notas:

  • Muitos substantivos terminam em consoantes puras, sendo estes geralmente de gênero masculino ou neutro.

Frejd (amigo) - Masculino

Frejds (Amigos) - Coletivo (pode ser Masculino ou Neutro)

  • Apesar de os nomes da maioria das emoções terminarem em -a (ĝoja - alegria; zujda - tristeza, etc), elas são palavras de gênero neutro. Isto pode ser observado pela declinação dos artigos ou pronomes que as acompanham.

Du ĝoja (a [neutro] alegria)

Du zujda (a [neutro] tristeza)

  • Palavras terminadas em -an também podem ser masculinas ou femininas em alguns casos, ou mesmo comuns de gênero. Portanto, não são, a rigor, um marcador específico do gênero neutro.

Fridan (irmão) - Masculino ou Neutro (coletivo)

Em alguns casos, tampouco são substantivos: certos adjetivos também recebem essa terminação.

Rodizan (vermelho) - é um Adjetivo (não declina em gênero).

  • Algumas palavras são comuns de gênero, apresentando a mesma forma porém com gêneros diferentes implícitos:

De studer (o aluno) / Da studer (a aluna)

De sekretár (o secretário) / Da sekretár (a secretária)

Nestes casos, quando se faz necessário especificar o gênero, este pode ser diferenciado pelo artigo empregado:

Da maj sekretár vokej mi. (Minha secretária me chamou)

Ŭi hava dovo problematic des studers in diz skol-klas. (Temos dois alunos [masculinos] problemáticos nesta sala de aula)

Os substantivos também se flexionam em número: singular e plural. Assim como em português, inglês e várias outras línguas comuns, o plural é marcado adicionando a letra -s ao final da palavra. No entanto, para aquelas palavras terminadas em consoantes puras sibilantes ou africadas (s, z, v, f, x, ŝ, č, ĝ, e mais raramente ĵ e ĥ), adiciona-se a partícula -es, como em inglês.

Hand (mão) > Hands (mãos)

Folt (pé) > Folts (pés)

Gata > Gatas

Oranĝe (laranja) > Oranĝes (laranjas)

Sintáx (sintaxe) > Sintaxes (sintaxes)

Rajz (arroz) > Rajzes (arrozes).

Lars (bota) > Larses (botas)

2.1.1- Graus dos Substantivos

O giptanês também possui formas para representar os aumentativos e diminutivos dos substantivos, embora sejam relativamente pouco utilizadas.

2.1.1.1 - Aumentativo

O grau aumentativo é gerado adicionando o infixo -aĝ- entre o radical do substantivo e sua terminação, conforme o gênero. Neste caso, a desinência de gênero é obrigatória: -o para masculino, -a para feminino e -an para neutro.

Man (homem) > manaĝo (homenzarrão)

Gata (gato fêmea) > gataĝa (gatona)

Rivo (rio) > rivaĝan (ribeirão)

2.1.1.2 - Diminutivo

Este grau é construído adicionando o infixo -iŝ- entre o radical e a terminação do substantivo (a qual, como no caso do aumentativo, também é obrigatória de acordo com o gênero).

Man (homem) > maniŝo (homenzinho)

Gata (gato fêmea) > gatiŝa (gatinha)

Rivo (rio) > riviŝan (riacho)

Muitas vezes, em diminutivos carinhosos (usados em ambiente familiar ou para bichinhos) substitui-se o infixo -iŝ- por -uŝ- ou -uŝk-.

Gata (gatinha)

Hunduŝkan (um cachorrinho)

2.1.2 - Substantivos Compostos

Em giptanês é relativamente comum a formação de palavras compostas por um processo de justaposição aglutinativa, no qual duas ou mais palavras são aglutinadas em um único termo. Tal recurso também está presente em algumas línguas como o Alemão e o próprio Esperanto. Alguns exemplos deste processo incluem:

2.1.2.1 - Aglutinação Direta (palavras fundidas sem modificação)

  • Lajderskravel - lajder (luminoso) + skravel (besouro) = Vaga-lume
  • Bejdsajdan - bejd (cama) + sajd (lado) + an (terminação) = Mesa de cabeceira, criado-mudo.
  • Tajbeltukan - tajbel (mesa) + tuk (pano) + an = Toalha de mesa.
  • Flajdermáŭs - flajder (voador) + maŭs (rato) = Morcego
  • Kiservojel - kiser (beijador) + vojel (passarinho) = Beija-flor
  • Treŝpölt - Treŝ (lixo) + polt (balde) = Lixeira

2.1.2.2 - Aglutinação com Elipse

Ocorre a elisão (perda) de parte ou a totalidade da terminação do primeiro termo da composição antes de se efetuar a junção, tanto para evitar colisão de letras repetidas no fim de um termo e início do outro quanto para manter a eufonia e fluidez de pronúncia.

  • Diŝvaŝer - diŝans (louças) + vaŝer (lavadora) = Máquina de lavar louças

(a terminação -an(s) é perdida em favor da eufonia e da terminação adjetiva prioritária do segundo termo).

  • Larsliker - lars (bota) + sliker (lambedor) = lambe-botas, puxa-saco

(há o encontro de duas letras 's', das quais uma é elidida na junção).

  • Bonvoler - bone (bem) + vola (vontade) + er (terminação adjetiva) = Benigno

(há a elisão das vogais átonas finais dos dois primeiros termos.)

  • Godnoktan - godjan (bom/boa) + nokte (noite) + an - Boa noite

(o termo godjan é frequentemente contraído para 'god' em cumprimentos. Esta palavra composta também pode ser escrita de forma separada).

  • Dovdek - dovo (número 2) + dek (número 10) - Vinte.

2.1.2.3 - Composição sem Aglutinação

Nem sempre esse fenômeno de aglutinação ocorre com as palavras compostas do idioma. Algumas palavras compostas permanecem (em parte ou em sua totalidade) separadas, geralmente quando há colisão de sons consonantais difíceis de pronunciar entre o final de uma palavra e o início de outra, o que prejudica a eufonia.

  • Bejd tukan - bejd + tuk + an = Lençol

(o som de d e t colidindo é difícil de pronunciar)

  • Erd tertan - erd (terra, chão) + tertan (tartaruga) = tartaruga terrestre, jabuti

(Mesmo motivo do anterior)

  • Bak bag - bak (costas) + bag (bolsa, saco) = mochila
  • A viel - a (conjunção sem tradução) + viel (um tanto) = um tanto quanto, bem, bastante
  • Dek dovo - dek (número 10) + dovo (número 2) = doze.

2.1.2.4 - Composição com Hifenização

Ocorre em algumas palavras compostas, embora menos comumente do que as outras formas de composição. Geralmente utilizado com termos formados por derivação de palavras compostas que já eram separadas. Também ocorre com nomes de números ordinais compostos e nacionalidades mistas.

  • Aŭster-hungarejan = Austro-húngaro
  • Ruso-ukrajnian = Russo-ucraniano
  • Dek-dover - Décimo-segundo
  • Dark-blaŭer - Azulado-escuro
  • Dag-al-dag - Dia-a-dia
  • Eč-jedan - (cada, mesmo) + jedan (número um) = Cada um.

2.2- Adjetivos

Adjetivos são palavras que exprimem uma qualidade própria ou atribuída a tudo quanto se designa por um substantivo. Normalmente, os adjetivos são colocados antes do(s) substantivo(s) ao(s) qual(is) eles qualificam, um padrão semelhante ao observado na língua inglesa. Neste caso, eles são palavras invariáveis em número (apresentam a mesma forma para singular e plural) e quase sempre comuns de gênero, com a mesma forma para todos os três gêneros, salvo em alguns casos (como belo/bela, novo/nova, etc).

Os adjetivos frequentemente recebem a terminação em -er, embora não seja uma regra fixa.

Ja vida du bele birdan. (eu vejo o lindo pássaro) > Ja vida dus bele birdans. (eu vejo os lindos pássaros)

Ja hava jedan older hund. (eu tenho um cão velho) > Ja hava dovo older hunds. (eu tenho dois cães velhos)

Jen haŭle da bela fraŭla! (Veja só que moça bonita!) > Jen haŭle das bela fraŭlas! (Veja só que moças bonitas!)

* Este é um caso em que o adjetivo varia em gênero.

Nota-se como esses adjetivos não variam quanto a singular e plural, enquanto os artigos e substantivos variam e concordam em gênero e número.

No entanto, há ocasiões nas quais os adjetivos surgem como predicados da oração. Neste caso, eles assemelham-se a substantivos e recebem normalmente flexão de número e gênero (quando possuem formas diferenciadas para cada um) como se fossem substantivos.

Dat fems ar tre belas. (Aquelas mulheres são tão belas.)

Dat mans ar tre belos. (Aqueles homens são tão belos.)

Dat gats ar tre beles. (Aqueles gatos [sexos indefinidos] são tão belos.)

Os adjetivos também são expressos em graus: os comparativos e os superlativos.

2.2.1- Comparativos

Expressam uma relação comparativa entre as qualidades de dois ou mais entes (substantivos) da frase. O grau comparativo estabelece inferioridade, igualdade ou superioridade, subdividindo-se, portanto, em grau comparativo de inferioridade, grau comparativo de igualdade e grau comparativo de superioridade.

2.2.1.1 - Comparativo de Superioridade

É gerado intercalando a partícula dan (que se traduz aproximadamente como "mais do que") entre o adjetivo e o sujeito ao qual ele qualifica.

Adjetivo + dan + Sujeito

Ja vis inteliger dan ju. (Sou inteligente, mais do que você)

Pavles is grot dan mi. (Pavles é gordo, mais do que eu)

Du glajz is liĝer dan ŭater. (O gelo é leve, mais do que a água.)

2.2.1.2 - Comparativo de Igualdade

É construído interpondo a partícula den (significando algo como "tanto quanto") entre adjetivo e o sujeito.

Adjetivo + den + Sujeito

Ĝies ar laŭder den a viel of manks. (Eles são barulhentos, tanto quanto um monte de macacos.)

Maj fridan is fort den mi. (Meu irmão é forte, tanto quanto eu.)

Volfram is huĝer den aŭro. (Tungstênio é pesado, tanto quanto o ouro.)

2.2.1.3 - Comparativo de Inferioridade

É construído colocando-se a partícula din ("menos do que") entre o adjetivo e o sujeito.

Adjetivo + din + Sujeito.

Ja vis majg din maj fotar. (Sou magro, menos do que o meu pai.)

Zojel is lertan din Mark. (Zojel é esperto, menos do que Mark)

Ŝi is hajgan din ju. (Ela é alta, menos do que você.)

2.2.2 - Superlativos

Expressam qualidades de determinados entes que se sobressaem perante os demais presentes na frase. São ainda subdivididos em:

2.2.2.1 - Superlativo Relativo de Superioridade

Exprime uma qualidade superior de um sujeito ante os demais. É produzido antecedendo o adjetivo pelo advérbio majer (mais).

Diz toŭer is du majer hajger. (Essa torre é a mais alta.)

Maj fredza is da majer bela fem of aldes. (Minha namorada é a mulher mais linda de todas.)

2.2.2.2 -Superlativo Relativo de Inferioridade

Exprime uma qualidade inferior de um ente em relação aos demais. É gerado antecedendo o adjetivo pela partícula miner.

Vun aldan dat knabos, dej is de miner a hibŝan. (De todos aqueles rapazes, ele é o menos bonito.)

In diz familija, ŝi is da miner a rujn. (Nesta família, ela é a menos ruim.)

2.2.2.3 - Superlativo Absoluto

O destaque é assinalado pelo emprego de certos termos que denotam ideia de acréscimo. Tal modalidade é expressa por meio dos advérbios ver (tanto, muito), tre (tão), extremem (extremamente), eksetem (excepcionalmente), etc., antepostos ao adjetivo.

Diz fodjan is ver godjan. (Essa comida é muito boa.)

Ŝi is tre bela... (Ela é tão bonita...)

Urano is un extremem friz planeta. (Urano é um planeta extremamente frio.)

Outra forma de expressar o grau superlativo absoluto é adicionando a partícula plej (o qual equivale aproximadamente ao sufixo -íssimo em português) precedendo o adjetivo.

Dat fraŭla is plej bela! (Aquela moça é belíssima!)

Ja dispendej plej multe monér in dat artverkan! (Gastei muitíssimo dinheiro naquela obra de arte!)

2.3-  Advérbios

Advérbios são palavras invariáveis utilizadas geralmente para exprimir circunstâncias de tempo, lugar, modo, qualidade, quantidade, ordem, afirmação, negação, dúvida, etc. Assim como no caso dos substantivos e adjetivos, muitos advérbios não possuem uma terminação característica. No entanto, os advérbios derivados (equivalentes àqueles terminados em -mente no português) recebem regularmente a terminação -em. Há também vários advérbios terminados em -aŭ, a maioria proveniente do léxico do Esperanto.

A classe dos advérbios é subdividida em:

2.3.1- Advérbios de Lugar

Hie (aqui), tie (ali, lá) či-tie (aí), ŭie (onde), ŭiej (de onde) ŭies (onde está, cadê), hajme (em casa), ale (em todo lugar), ie (algum lugar, algures), iej (em algum lugar) nie (nenhum lugar), niej (em lugar nenhum), niar (perto), aŭer (longe), vore (à frente), hind (atrás), iner (dentro), aŭt / fore (fora), ĝis (até)...

Maj familija loĝa hie. (minha família mora aqui)

Ŭie gaŭej ju? Forlasej mi angoriĝen! (Onde você foi? Me deixou preocupado!)

Dej is hind a mi, ču ne? (Ele está atrás de mim, não é?)

2.3.2- Advérbios de Tempo

Hod (hoje), jester (ontem), morgen / morgaŭ (amanhã), eŭer (sempre), neŭer (nunca), antes (antes), after (depois, após), kiam (quando), daŭre(m) / dum (durante), nura (agora), ĝe (já, neste momento), ĝej (neste exato momento) iam (em algum momento), frule (cedo), tard (tarde), ankoraŭ (ainda), nadjan (outra vez) otertaje (outrora), ĝis (até)...

Hod rajgej dum aldan du morgen. After diz, de zun blisej a nadjan, kaj daŭej friz. Ja hopa dat morgaŭ vies un best dija. (Hoje choveu durante toda a manhã. Depois disso, o sol brilhou outra vez, mas fez frio. Espero que amanhã seja um dia melhor.)

Jester ja dalkej ŭit her. (ontem eu conversei com ela)

Iam dus last dags, ja lusej aldan maj fujran. (Em algum momento nos últimos dias, eu perdi todo o meu medo.)

2.3.3- Advérbios de Afirmação

Jés (sim), rekte (certo), rektem (certamente), exate (exato), exatem (exatamente), ŝurej (é claro), konŝánt (com certeza), realem (realmente), laŭvere (de verdade), veridem (verdadeiramente), ĵustem (justamente)...

Jés, ja videj aldan. (Sim, eu vi tudo.)

ŝurej! Ju is rektan, diz is ĵustem ja lujstej. (É claro! Você está certo, isso é justamente o que eu escutei.)

2.3.4- Advérbios de Negação

Ne (não), nek (nem), neŭer (nunca), nermajer (nunca mais), niel (de modo nenhum), nial (por motivo nenhum), niek (não mesmo), ŝurej ne (certamente que não)...

Ja ne vola vide dit. (Eu não quero ver isso.)

Ĝis nermajer! (Até nunca mais!)

Neŭer dubites of du fort dat hava ju. (Nunca duvide da força que você tem.)

Ju ne ge vojla ŭit diz horrible ŝaŭn, a niel! (Você não vai sair com esse sapato horroroso, de jeito nenhum!)

Nial oples diz stiklan. (Por nenhum motivo abra essa garrafa).

2.3.5- Advérbios de Modo

Tiel (assim), haŭle (como), iel (de algum modo), niel (de nenhum modo), aldel (de todo modo), bone (bem), mal (mal), best (melhor), vorse (pior), vurkaŭze (por causa de), despite (apesar), due (devido a), rapide (rápido), delajgan (devagar), rapidem (rapidamente), delajgem (vagarosamente), silentem (silenciosamente)...

Haŭtiel du nokte hopa vur du dija... (assim como a noite espera pelo dia)

Ŝi iel survivej, despite aldan her vundans. (Ela sobreviveu de algum modo, apesar de todos os seus ferimentos.)

Ŝi kanta lindem. (ela canta lindamente).

2.3.6- Advérbios de Intensidade

Majer (mais), miner (menos), dan (mais que), din (menos que), den (tanto quanto), ver (tanto) multe (muito), vik (pouco), tre (tão, bastante), viel (um tanto), dan majer (bastante, demais), treviel (demais)...

Ču vola ju jate ĝus majer a vik? Rastes farter! Ŭi hava multe fodjan. Tajkes jedan pies!  (Você quer comer um pouco mais? Fique à vontade! Temos muita comida. Pegue um pedaço!)

Jor gat is tre lilej… (seu gato é tão pequenino...)

Multe jaros pasiĝej, kaj ŝi ne čanĝej a noten. Ŝi daŭra linda, den kiam ja konizej her. (Muitos anos se passaram, mas ela não mudou nada. Continua linda, tanto quanto quando a conheci).

2.3.7- Advérbios de Dúvida:

Eblej (talvez), vurkaze (por acaso, porventura), certe (um certo), cirkaŭ (cerca de), proximem (aproximadamente), ion (algo), ione (algum(a)), iam (algum momento), probablem (provavelmente)...

Eblej, iam, ja gaŭas ĝis jor hajm. Ja vola multe vizite ju tie in jor stad, maj lova, kaj lesa al mi du monér. (Talvez, em algum momento, eu irei à sua casa. Quero muito te visitar aí na sua cidade, meu amor [feminino], mas me falta dinheiro).

Iam a dag, probablem ja ge vortela aldan dat ju nida ŭise pri mi. (Algum dia, contarei tudo o que você precisa saber sobre mim.)

Nota:

  • Os advérbios que são terminados em -em em giptanês são equivalentes àqueles terminados em -mente em português:

Exatem - Exatamente

Lindem - Lindamente

Inkriblem - Incrivelmente

Perfektem - Perfeitamente

Horriblem - Horrivelmente

2.4- Artigos

Em giptanês, os artigos são palavras variáveis que concordam em número e gênero com os substantivos. Eles são divididos em definidos e indefinidos, e cada um é ainda flexionado em singular e plural (recebendo a terminação em -s) e em todos os três gêneros. Há seis artigos na língua, três definidos, três indefinidos e seus respectivos plurais. Estes são:

2.4.1- Artigos Definidos:

  • De (masculino, equivalente ao português o)
  • Da (feminino, equivalente ao português a)
  • Du (neutro, sem equivalência)

Plurais: des, das, dus

2.4.2- Artigos Indefinidos:

  • En (masculino, equivalente ao português um)
  • An (feminino, equivalente ao português uma)
  • Un (neutro, sem equivalência)

Plurais: ens, ans, uns

ARTIGOS
MODO NÚMERO GÊNERO
MASCULINO FEMININO NEUTRO
DEFINIDO SINGULAR De

o

Da

a

Du

o / a

PLURAL Des

os

Das

as

Dus

os / as

INDEFINIDO SINGULAR En

um

An

uma

Un

um / uma

PLURAL Ens

uns

Ans

umas

Uns

uns / umas

De ĥojno kukej. (o galo cacarejou) – Masculino

Da bova is mildan. (a vaca é mansa) – Feminino

Du rivo is poluten. (o rio está poluído) – Neutro

En bovo is nozan. (um boi está doente) – Masculino

An lile kina gaŭej ĝis her fotar. (uma menininha foi até seu pai) – Feminino

Un virdan tre hajgan. (uma árvore bem alta) – Neutro

2.5- Verbos

São palavras que exprimem ações, estado ou fenômenos naturais.

No idioma, os verbos seguem um padrão simples e lógico de construção e conjugação. Com uma única exceção (o verbo vie – ser / estar), todos os verbos são rigorosamente regulares e são todos conjugados seguindo um mesmo padrão.

Os verbos giptaneses são flexionados em tempo e modo, mas não em número ou pessoa. Desta forma, o verbo possui uma forma única para todas as pessoas de cada modo, tanto do singular quanto do plural, ao invés de ter uma terminação própria para cada pessoa como em português. A diferenciação do significado é dada pelo pronome pessoal empregado, o qual é, na maioria dos casos, imprescindível para que o verbo possa fazer sentido (vide as exceções na seção 2.5.3.2).

Os verbos são classificados em seis categorias, chamadas de modos verbais: infinitivo, indicativo, subjuntivo, condicional, imperativo e particípio.

2.5.1- Modos Verbais

2.5.1.1 - Infinitivo

Este modo exprime o verbo em sua forma pura, exprimindo apenas uma ideia geral, teórica. Terminam com a desinência -e.

Valke (caminhar); voble (falar); gaŭe (ir); love (amar); luse (perder); faŭle (cair)...

2.5.1.2- Indicativo

Enuncia uma ideia ou fato concreto. É dividido em três tempos verbais:

2.5.1.2.1 - Presente

Enuncia uma ação realizada no momento em que se fala, recente. Os verbos no presente terminam com a desinência -a.

Valka; vobla; gaŭa; lova; lusa; faŭla

(os respectivos verbos conjugados em todas as pessoas do presente: amo, amas, ama, amamos, amais, amam...)

2.5.1.2.2 - Pretérito

Enuncia uma ação ou fato já ocorrido, já concluída. Em giptanês recebem a terminação -ej.

Valkej; voblej; gaŭej; lovej; lusej; faŭlej

(os respectivos verbos conjugados em todas as pessoas do pretérito: perdi, perdestes, perdeu...)

Nota:

O Giptanês não possui propriamente um pretérito imperfeito, ficando a distinção entre os pretéritos perfeito e imperfeito dependente do contexto. No entanto, quando é necessário fazer a diferenciação, seus verbos no passado recebem uma marcação para uma ação inconcluída, continuada, acrescentando um i entre o radical do verbo e a terminação indicativa de tempo pretérito, isto é, passam a terminar em -iej.

Ja videj - eu vi  > Ja vidiej - eu via

2.5.1.2.3 - Futuro

Refere-se a uma ação que será realizada futuramente. Há duas formas possíveis de se exprimir o tempo futuro nos verbos:

  • Futuro Sintético: Utilizada em contextos mais formais, é derivado do infinitivo substituindo a terminação -e por -as.

Ja voblas vur alder in du reunion. (eu falarei por todos na reunião)

  • Futuro Analítico: Mais utilizada, sobretudo em contextos mais informais. É construído simplesmente antepondo a partícula ge ao verbo contendo a terminação do presente do indicativo (-a), sendo escrito de forma analítica como duas palavras separadas.

Ju ge lusa jor vork ivan ju daŭris al vie groser a tiel! (Você perderá o seu emprego se continuar sendo grosseiro(a) desse jeito!)

Ja ge vis de number jeder, iel ajn! (Eu serei o número um, de qualquer jeito!)

Obs.: A partícula ge origina-se do verbo 'ir' em inglês (go).

2.5.1.3- Condicional

Expressa uma ação teórica, a ser executada em um tempo indefinido. Este modo possui características de verbos no futuro e no pretérito. Em giptanês, recebem a terminação -is.

Ivan ja ŝuldis, ja purŝis dat hajm... (se eu pudesse, eu compraria aquela casa...)

Ŭie ja viis, dej ajzan ge is. (onde eu estiver, ele também estará)

Kiam ju turnis al mi... (quando você voltar para mim...)

2.5.1.4- Imperativo

Exprimem uma ordem, exortação. Recebem a terminação em -es. Normalmente, na forma pura, o verbo no modo imperativo está indicando a segunda pessoa. Para indicar as demais pessoas, normalmente o verbo é seguido pelo respectivo pronome pessoal.

Dalkes mi ion! (diga-me algo!)

Plejz, tajkes un kupa of kafëj. (por favor, tome uma xícara de café.)

Voriĝes! Gaŭes rapide, ne stares halten tie! Ne luses du aŭtovogan, baklan! (Adiante-se! Vá depressa, não fique parado aí! Não perca o ônibus, estúpido!)

2.5.1.5- Particípios

2.5.1.5.1 -  Particípio Presente

O giptanês, como a maioria das línguas germânicas exceto o inglês, não possui propriamente o que no português é denominado gerúndio. Neste caso, é utilizada uma forma do modo particípio denominada de particípio presente, cuja terminação é dada em -ien. Esta forma também pode ser representada analiticamente precedendo o verbo no infinitivo pela preposição al.

Ja vis dalkien [ou al dalke] ju! Plejz, atentes mi! (estou conversando com você! Por favor, preste atenção em mim!)


2.5.1.5.2 - Particípio Passado

Remete a uma ação já executada passivamente. Recebe a terminação em -en.

Ĝies viej lusen. (eles [objetos] foram perdidos)

Maj lek is broken. (minha perna está quebrada)

Ja havej tajken diz vojo vur turne hajme majer rapidem. (tenho tomado esse caminho para voltar para casa mais rapidamente)

CONJUGAÇÃO DE VERBOS
MODOS / TEMPOS TERMINAÇÃO EXEMPLOS
Infinitivo -e Love; Dalke; Parte

amar; dizer; partir

I

n

d

i

c

a

t

i

v

o

Presente -a Lova; Dalka; Parta

amo, amas, ama...;

digo, dizes, diz...;

Parto, partes, parte...

Pretérito Perfeito -ej Lovej; Dalkej; Partej

andei, andastes, andou...

vivi, vivestes, viveu...

parti, partistes, partiu...

Pretérito Imperfeito -iej Loviej; Dalkiej; Partiej

andava(s)...; vivia(s)...; partia(s)...

Futuro

(Sintético / Analítico)

-as

/

ge + -a

Lovas; Dalkas; Partas

/

Ge lova; Ge dalka; Ge parta

amarei, amará(s)...

direi, dirá(s)...

partirei, partirá(s)...

Condicional -is Lovis; Dalkis Partis

amaria..., amasse...;

diria..., dissesse...;

partiria..., partisse...

Imperativo -es Loves; Dalkes; Partes

(ame; diga; parta)

P

a

r

t

i

c

í

p

i

o

Particípio Passado -en Loven; Dalken; Parten

(amado; dito; partido)

Particípio Presente -ien Lovien; Dalkien; Partien

(“amando”, “dizendo”, “partindo”)

2.5.2 - Verbos Reflexivos

Um verbo reflexivo é descrito, vagamente, como um verbo cujo objeto direto é o mesmo que seu sujeito, caracterizando, assim, uma ação executada sobre o próprio agente causador, como, por exemplo, na frase "Eu me lavo".

Em giptanês, tal como em esperanto, tais verbos podem ser representados por meio do infixo -iĝ- colocado entre o radical do verbo e a terminação verbal de qualquer um dos modos.

De kind vuŝiĝej on du maŭd pol (o menino sujou-se na poça de lama.)

* Vuŝe - sujar > Vuŝiĝe - sujar-se.

Dej sitiĝej over du staŭl. (Ele sentou-se sobre a cadeira).

* Site - sentar > Sitiĝe - sentar-se

Ju lusiĝa in du vortelan… (Você se perde no conto…)

* Luse - perder > Lusiĝe - perder-se

Ja vundiĝej ŭit du najf. (Eu me feri com a faca.)

* Vunde - ferir > Vundiĝe - ferir-se

2.5.3 - Casos Excepcionais

2.5.3.1 - O Verbo Vie

O verbo vie (ser ou estar) é um caso excepcional por ser o único verbo irregular do idioma, possuindo formas próprias de conjugação no presente do indicativo e futuro analítico, não seguindo o padrão dos demais verbos. Estas formas excepcionais são uma reminiscência da gramática do inglês, tendo sido incorporadas bem cedo no idioma antes de sua regularização e sendo, portanto, consagradas pelo uso corriqueiro. São elas:

  • Vis – Utilizada unicamente para a primeira pessoa do singular (ja).

Ja vis edziĝen! (sou casado(a)!)

  • Is – Utilizada para a segunda e terceira pessoas do singular (ju, dej/ŝi/dit). Idêntico ao inglês is, exceto que também é usado para a segunda pessoa.

Dej is ver hajger. (ele é bem alto.)

  • Ar – Utilizada para as três pessoas do plural (ŭi, jus, dejs/ŝis/ĝies). Equivale ao inglês are.

Ŭi ar godjan frejds. (nós somos bons amigos.)

Excetuando-se essas formas irregulares no presente e futuro analítico, o verbo vie é conjugado normalmente como qualquer outro verbo no passado (viej, viiej) e no futuro sintético (vias), bem como nos demais modos (vie, vies, viis, vien, viien / al vie).

2.5.3.2 - Verbos Desacompanhados (Sujeito Indeterminado ou Ações em Sequência)

Os verbos do giptanês, via de regra, devem vir acompanhados por algum pronome para fazerem sentido, o qual indica a pessoa do verbo (primeira, segunda, terceiras do singular ou plural) e lhe dá o significado adequado. Os únicos casos onde os verbos podem vir desacompanhados de pronomes pessoais ocorrem em orações com sujeito indeterminado (no qual o verbo é conjugado no pretérito) ou quando o mesmo sujeito da frase realiza várias ações em sequência (neste caso, para evitar repetições frequentes do mesmo pronome, este pode ser omitido dos demais verbos da oração para além do primeiro, ficando assim implícito no contexto).

Ŝtelej maj vogan! (Roubaram o meu carro!)

* Neste exemplo, temos um caso de oração com sujeito indeterminado.

Ŝi valkej vur du strat, purŝej un frand ed after vindiĝej hers frejdas on du cinema. (Ela andou pela rua, comprou um lanche e depois encontrou-se com suas amigas no cinema.)

* Neste exemplo temos um caso de iteração: o mesmo sujeito executou todas essas ações, podendo-se assim omitir o pronome para evitar repetições.

2.5.3.3 - Subjuntivo

O giptanês não possui explicitamente um modo subjuntivo bem caracterizado como outras línguas como o português. Este modo, que expressa uma ideia de ação incerta ou hipotética, não possui uma terminação própria no idioma e não é considerado como uma categoria verbal separada. Os verbos em giptanês correspondentes ao modo subjuntivo em português estão incluídos entre os outros modos, com sua diferenciação dependente do contexto. O condicional, que em português é parte do modo subjuntivo, em giptanês é um modo separado e com uma desinência própria (-is).

As formas verbais correspondentes ao presente e pretérito do subjuntivo em português estão inclusas no modo imperativo do giptanês, recebendo, portanto, a terminação em -es como os demais verbos desse modo. A diferenciação entre o imperativo verdadeiro e a forma que funciona como subjuntivo pode ser feita observando-se a colocação dos pronomes pessoais: no imperativo verdadeiro (que geralmente refere-se à segunda pessoa), o pronome pode ser omitido completamente (ex: daŭes [ju] ion! – faça alguma coisa!) ou pode ser colocado após o verbo (ex: vobles jus ŭit mi – Falem comigo), enquanto na forma correspondente ao modo subjuntivo o pronome (que, neste caso, pode ser de qualquer pessoa) antecede o verbo como acontece no modo indicativo. A diferenciação entre os tempos verbais é dada implicitamente pela conjugação de outros verbos presentes na frase.

Portanto, verbos com desinência de imperativo antecedidos por pronomes pessoais funcionam como subjuntivo:

Ŝi vola ja kises her. (Ela quer [que] eu a beije.)

* Forma correspondente ao presente do subjuntivo. O tempo presente está implícito pela presença do outro verbo na frase (vola), que é conjugado no presente.

Ĝies volej ju vertrekes. (Eles [coletivo] quiseram [que] você fosse embora.)

* Forma correspondente ao pretérito do subjuntivo. O tempo passado do verbo é implicado pelo outro verbo que o antecede (volej), que é conjugado no passado.

O modo condicional, considerado uma categoria própria no idioma, também funciona como subjuntivo:

Ivan ju ŝuldis čojze inter Angles ed Frances, haŭ of diz ju voliej lerne? (Se você pudesse escolher entre Inglês e Francês, qual desses você queria aprender?)

* Forma correspondente ao pretérito do subjuntivo.

A forma correspondente ao futuro do subjuntivo, por outro lado, está incluída no futuro sintético do indicativo, portanto recebe a mesma desinência em -as (neste caso, esta forma será usada mesmo em contextos informais) No entanto, a presença de pronomes como kiam (quando) e ivan (se) revela pelo contexto o modo subjuntivo implícito.

Kiam ju foras, ne vorgeses du umbrela. (Quando você sair, não esqueça o guarda-chuva.)

* Forma correspondente ao futuro do subjuntivo.

Em resumo, as formas subjuntivas do verbo vole (querer) na primeira pessoa do singular (devido à regularidade do idioma, pode-se facilmente adaptar para outras pessoas e outros verbos):

  • Presente:

(Dat) ja voles - (que) eu queira

  • Pretérito:

Ivan ja voles / volis - Se eu quiser / quisesse

  • Futuro:

Kiom ja volas - quando eu quiser

2.6- Pronomes

Pronome é a classe de palavras que substitui o substantivo (nome). Tem a finalidade de indicar a pessoa do discurso ou situar no tempo e espaço, sem utilizar o seu nome.

2.6.1- Pronomes Pessoais "Retos" (caso Nominativo)

Os pronomes pessoais do caso nominativo indicam as pessoas ativas do discurso, como índices do sujeito ou dos objetos de uma sentença. Em giptanês, eles são:

Ja - Eu

Ju - Tu, Você

Dej - Ele

Ŝi - Ela

Dit - Ele / Ela (gen. neutro), Isso

Ŭi - Nós

Jus - Vós, Vocês

Dejs - Eles

Ŝis - Elas

Ĝies - Eles (coletivo)

Exemplos de usos:

Ja lova maj familija. (Eu amo a minha família)

Ču vola ju drinke ion? (Você quer beber algo?)

Dej is maj lile fridan. (Ele é o meu irmãozinho)

Ču loĝa ŝi niar jor hajm? (Ela mora perto [da] tua casa?)

Dit is du best lok vun aldan diz stad. (Este é o melhor lugar de toda esta cidade)

Ŭi ar vun Ĵuniperstád. (Nós somos de Juniperstad)

Ču ŝuldis jus helpe mi? (Vocês poderiam me ajudar?)

Ĝies aldan vola purŝe maj frajpans! (Eles [coletivo] todos querem comprar meus picolés!)

Dejs ar maj dovo fridans. (Eles [masculinos] são os meus dois irmãos.

Ŝis lova du same knabo. (Elas amam o mesmo rapaz)

2.6.2- Pronomes Pessoais "Oblíquos" (caso Acusativo)

Indicam as pessoas do discurso numa posição passiva, que atuam como receptoras da ação.

Mi - Me, Mim

Ju - Ti, a você

Der - A ele, Lhe

Her - A ela, Lhe

Ĝer - A ele/ela (neut.), Lhe

Ŭis - Nos, A nós

Jus - Vos, A vós

Dejs - A eles, Lhes

Ŝies - A elas, Lhes

Ĝies - A eles/elas, Lhes

Ja givej aldan dus maj baŭks vur der. (Dei todos os meus livros para ele)

Ŝi helpej ŭis. (Ela nos ajudou)

Maj lile kind is prajzer vur mi. (Meu garotinho é precioso para mim)

Ču vis ja un ĵoka vur ju? (Eu sou uma piada para você?)

Kiam ju ge hava koraĝe vur invite her? (Quando você terá coragem para convidá-la?)

Percebe-se que apenas a primeira pessoa do singular e do plural, a terceira pessoa do singular no masculino e a terceira do plural no feminino possuem formas próprias. As demais assemelham-se às do modo nominativo e aos pronomes possessivos.

2.6.3- Pronomes Possessivos

São pronomes utilizados para demonstrar posse ou propriedade sobre determinados itens. São eles:

Maj(n) - Meu / minha

Jor - Teu / tua

Der - Seu (masculino)

Her - Sua

Ĝer - Seu / Sua (neutro), Disso

Orse - Nosso(a)

Jorse - Vosso(a)

Huse - Seu, sua (coletivo e neutro)

Diz či is maj hundo. (Este é o meu cachorro)

Diz flipan is majn! (Esse chinelo é meu)

Jor ziper is oplen. (Teu zíper está aberto)

Dat kinda rastej tre ĝojan ŭit her dojla. (Aquela menina ficou muito feliz com sua boneca)

Orse hajm is ne grander. (Nossa casa não é grande)

Huse problems ĝus afangej. (Seus problemas só começaram).

Nota-se que o pronome possessivo de primeira pessoa possui uma particularidade: ele é grafado normalmente como maj, porém é escrito majn quando no final da frase, uma reminiscência do inglês (my / mine). Apenas a terceira pessoa do singular apresenta flexão em gênero, com formas diferenciadas para cada um dos três gêneros, sendo as formas masculina e feminina também reminiscentes do inglês (der / her).

2.6.4- Pronomes Interrogativos

Pronomes interrogativos são aqueles empregados em orações interrogativas diretas ou indiretas.

Ŭos? - O que?

Ŭós? - Por que?

Ŭes - [que tipo de coisa]?

Huen? - Quem?

Hues? - De quem?

Haŭ? - Qual?

Ŭie? - Onde?

Ŭies? - Cadê?

ŭiej? - De onde?

Kiel? - Como?

Kiam? - Quando?

Vek? - Quanto?

Haŭtiel? - Como assim?

Ču eblej? - Será…?

Ču? - Partícula interrogativa, intraduzível.

Ŭes okazej hie?! (O que aconteceu aqui?!)

Ŭós du skjél is blaŭ? (Por que o céu é azul?)

Huen is ju, senjör? (Quem é você, senhor?)

Ŭie viej ju? Ŭies jor ŝaŭn? (Onde você esteve? Cadê o seu sapato?)

Kiam ju kamej? Ja ne videj ju… (Quando você chegou? Eu não te vi…)

Kiel ju akivej daŭe dit? (Como você conseguiu fazer isto?)

Ŭiej is dat man? (De onde é aquele homem?)

Ču ja koniza ju? (Eu te conheço?)

Nota:

Diferentemente do português, no qual alguns dos pronomes interrogativos também funcionam como outras classes de palavras (ex: qual, como, o que, por que), o mesmo não ocorre, na maioria dos casos, com o giptanês:

  • Que (interrogativo) = ŭos

Que (conjunção) = dat

Que (relativo) = ves / vas / vus

Que (advérbio, indefinido) = haŭle

  • Qual (interrogativo) = haŭ

Qual (advérbio) = haŭle

  • Como (interrogativo) = kiel

Como (conjunção) = haŭle

  • Por quê? (interrogativo) = ŭós

Porque (conjunção) = vurkaŭze

  • Onde (interrogativo) = ŭie

Onde (relativo) = onde

O termo haŭle, como visto, possui significado amplo em giptanês, podendo significar: "que", "como", "qual", "quanto" e "quão" em contextos não interrogativos.

2.6.5- Pronomes Demonstrativos

Os pronomes demonstrativos possuem duas formas distintas, uma indicando uma maior proximidade e outra indicando distância. Assim como em inglês, eles não se flexionam em número e gênero, o que é determinado pelo contexto.

Diz - Este, Esta, Isto; Esse, Essa, Isso

Dat - Aquele, Aquela, Aquilo

A forma diz é utilizada para apontar objetos e pessoas próximos a quem fala (junto a ele ou de seu interlocutor), transmitindo o conceito de "isto" ou "isso". Quando é necessário fazer a distinção entre um objeto ou pessoa diretamente próximo ao falante (o conceito de "isto", diferenciando de "isso"), usa-se a partícula aproximativa či antes ou após o pronome demonstrativo, podendo-se ou não utilizar hífen para separá-los (frequentemente quando a partícula precede o pronome).

Diz - Esse, Essa, Isso

Diz či / či diz / či-diz - Este, Esta, Isto

Diz is maj frejd. Ed či-diz is maj fredza. (Esse é o meu amigo. E esta [ou essa aqui] é a minha namorada.)

Notas:

  • O pronome pessoal neutro de terceira pessoa, dit, também pode ser usado como pronome demonstrativo neutro, significando, especificamente, "isto".

Dit ŝajna ver taster. Ču ŝuldis ju give mi un pies? (Isto parece muito gostoso. Você poderia me dar um pedaço?)

  • A palavra dat, assim como seu correlato em inglês (that), possui dois significados distintos: tanto pode ser traduzida como o pronome demonstrativo aquele/ela/ilo quanto como a preposição ou o pronome relativo que. A diferenciação depende do contexto.

2.6.6 - Pronomes Relativos

Pronome relativo é aquele que, normalmente, refere-se a um termo anterior (o antecedente) dentro de um enunciado, substituindo-o para evitar que a oração se torne muito repetitiva.

Os pronomes relativos são invariáveis em número. Aqueles correspondentes a que, quem, cujo(a), o/a(s) qual/quais concordam em gênero com os sujeitos da frase e artigos empregados.

Vus - A quem, cujo (coletivo)

Vas - A quem, cujo (feminino)

Ves - A quem, cujo (masculino)

Dat - Que, o(s)/a(s) qual(is)

Haŭviel - Quanto (relativo)

Onde - Onde (relativo)

Ja purŝej un hajm dat rasta in du najborejo niar hie. (Eu comprei uma casa que fica no bairro próximo daqui.)

Jen da knaba dat brokej maj koro. (Eis a garota que partiu o meu coração).

Ĝies viej multe dus cliënts vus ja atendej hod. (Eram muitos os clientes [coletivo] a quem eu atendi hoje.)

Ču is diz de juner ves ju voblej al mi? (É este o jovem de quem você me falou?)

Dat is da fem vas ja vis al fredziĝe. (Aquela é a mulher a quem estou namorando.)

Dej daŭej haŭviel či ŝuldej, kaj ne akivej. (Ele fez o quanto pode, mas não conseguiu.)

Dat viej du lok onde ŭi koniziĝej. (Aquele foi o lugar onde nos conhecemos.)

2.6.7- Pronomes Indefinidos

Pronomes indefinidos são aqueles que se aplicam à terceira pessoa gramatical, quando considerada de um modo vago e indeterminado. Em giptanês, esses pronomes são palavras invariáveis, não aceitando flexão de gênero ou número.

Ione - Algum(a)

None - Nenhum(a)

Oter - Outro(a)

Certe - Certo(a)

Viel - Um tanto, Bastante

Undej - Qualquer

Haŭle - Quanto(a)

Haŭ - Qual

Varej - Vários

Multe - Muito(a)

Onej - sem tradução

Ionej - Alguém

Nonej - Ninguém

Aldan - Tudo, Todo(a)

Noten - Nada

Ion - Algo

- Cada

Huen - Quem

Ŭós - Que

etc.

Ja nida daŭe ion. (Eu preciso fazer algo.)

Nonej lujsta mi! (Ninguém me escuta!)

Dit is ver darkan. Ja ne akiva vide noten. (Está muito escuro. Não consigo ver nada.)

Ču hava ionej (a) tie? (Tem alguém aí?)

Haŭle du frizan! (Que frio!)

Onej vobla, dat hajm is vičen. Ja hava fujran. (Dizem [que] aquela casa é enfeitiçada. Eu tenho medo.)

Certe persons dingiej a tiel. (Certas pessoas pensavam desse jeito)

PRONOMES PESSOAIS, POSSESSIVOS E REFLEXIVOS
Nominativos Acusativos Possessivos Reflexivos
Ja

eu

Mi

me; mim

Maj(n)

meu, minha

Me

me

Ju

tu, você

Ju

te; ti

Jor(s)

teu, tua

Je

te, ti

Dej

ele

Der

a ele; para ele

Der

seu

Sie

se, si

Ŝi

ela

Her

a ela; para ela

Her

sua

Dit

ele/a (neutro)

Ĝer

a ele/a; para ele/a

(neutro)

Ĝer

seu / sua

(neutro)

Ŭi

nós

Ŭis

a nós; nos

Orse

nosso/a

Ŭis

nos

Jus

vós, vocês

Jus

a vós / vocês; vos

Jorse

vosso/a

Jes

vos

Dejs

eles

Ders

a eles; para eles

Huse

seu, sua

(plural, misto e neutro)

Sie

se, si

Ŝis

elas

Ŝies

a elas; para elas

Ĝies

eles, elas

(misto, neutro)

Ĝies

a eles/as; para eles/as

(misto, neutro)

2.7- Preposições

As preposições são palavras usadas para marcar as relações gramaticais que substantivos, adjetivos, verbos e advérbios desempenham no discurso. Em outras palavras, as preposições são unidades linguísticas dependentes de outras, ou seja, elas não aparecem sozinhas no discurso e servem justamente para estabelecer a ligação entre dois termos.

2.7.1- Classificação das Preposições

A classe das preposições está dividida em duas subcategorias: as preposições essenciais e as preposições acidentais.

2.7.1.1 - Preposições Essenciais

São aquelas que só aparecem na língua propriamente como preposições, sem outra função. São preposições essenciais: a, al (a, para), of (de), antaŭ (ante, perante), post (após), ĝis (até), ŭit (com), kontra (contra), ekde (desde), in / on (em), inter (entre), vur (para, por), lés (sem), under (sob), over (sobre)

Dej turnej al der nasker stad vur revinde der mater. (Ele voltou à sua cidade natal para reencontrar sua mãe.)

Dej valkej ĝis du park vur exercitiĝe. (Caminhou até o parque para exercitar-se.)

Ja givej ju aldan of mi. (Eu te dei tudo de mim.)

Ja ge daŭe diz vork ŭit ju (Farei esse trabalho com você.)

Ja ge glude dus posters ŭit gluder tajpan. (Colarei os cartazes com fita adesiva.)

Nos dois últimos exemplos, a preposição ŭit possui significados diferentes: no primeiro caso, indica companhia, no segundo caso, indica instrumento.

2.7.1.2 - Preposições Acidentais

São aquelas que não possuem originalmente a função de preposição, mas que podem acabar exercendo essa função em determinados contextos.

São preposições acidentais: haŭle (como), laŭ (conforme, segundo), dum (durante), eksét (exceto), for (fora), medjant (mediante), after (depois, após), hind (trás, atrás), entre outras.

For al mi, aldes viej tre godjan. (Fora a mim, todos foram muito bem).

For seria, comumente, um advérbio de lugar (Ex.: Du obĵekto viej for al du bolsa - O objeto estava fora da bolsa.). Entretanto, no contexto da primeira frase, torna-se preposição acidental, já que significa “com exceção de”.

Daŭes aldan laŭ ja ordej ju. (Faça tudo conforme eu te mandei.)

O termo laŭ é, originalmente, uma conjunção subordinativa conformativa.

Du vorkan is maken medjant pagan. O serviço é feito mediante pagamento.

Medjant é, originalmente, um adjetivo, significando "algo que serve de intermediário".

Folges after mi. (Siga após mim)

After pode significar tanto "após", atuando como preposição de fato, quanto "depois", o qual é um advérbio de lugar e de tempo.

2.8 - Conjunções

Conjunções formam a classe de palavras que estabelecem relações de sentido entre elementos da oração. São classificadas de acordo com o grau de dependência existente entre os termos ligados por elas, de modo que as conjunções coordenativas ligam termos independentes entre si e as conjunções subordinativas ligam termos dependentes entre si. Essas classificações, por sua vez, possuem subclassificações.

2.8.1 - Conjunções Coordenativas

As conjunções coordenativas ligam palavras e orações que são independentes entre si, ou seja, estão no mesmo nível de hierarquia e são completamente compreensíveis uma sem a outra. Essas conjunções têm cinco subclassificações, de acordo com o sentido que estabelecem entre os elementos que ligam:

2.8.1.1 - Conjunções Coordenativas Aditivas

Conjunções coordenativas aditivas estabelecem relação de adição (positiva ou negativa). As principais conjunções coordenativas aditivas são ed (e), nek (nem) e ajzan (também).

On du fejer, ŭi purŝa tomates, oranĝes ed apels. (Na feira, compramos tomates, laranjas e maçãs.)

Ŝi ne arrivej ankoraŭ, nek ŭi kona kiam ge arriva. (Ela ainda não chegou, nem sabemos quando vai chegar.)

2.8.1.2 - Conjunções Coordenativas Adversativas

Essas conjunções estabelecem relação de oposição. As principais conjunções coordenativas adversativas são kaj (mas), sed (porém), ŭit aldan (contudo), tamen (todavia), untiel (entretanto).

Dit havej flors on du ĝarden, kaj dit viej al velkiĝe… (Havia flores no jardim, mas estavam murchando…)

Dej viiej inteliĝer ed godjan ŭit vortans, untiel, dej viiej angorer on du tést. (Era inteligente e bom com palavras, entretanto, estava nervoso na prova.)

Ja lika fraĵola kuĥan, sed ja prefira du of čokolate. (Eu gosto de bolo de morango, porém prefiro o de chocolate.)

2.8.1.3 - Conjunções Coordenativas Alternativas

Estabelecem relação de alternância. As principais conjunções coordenativas alternativas são or (ou), or ... or, nun ... nun (ora), eblej ... eblej (talvez).

Eblej du rezultan aperas morgaŭ or after. (Pode ser que / talvez o resultado saia amanhã ou depois.)

Nun ŝi voliej live tie vur eŭer, nun ŝi voliej čanĝe of naŝland. (Ora ela queria viver ali para sempre, ora queria mudar de país.)

2.8.1.4 - Conjunções Coordenativas Conclusivas

Estabelecem relação de conclusão. As principais conjunções coordenativas conclusivas são tial (portanto, por isso), daŭ (então), tiel (assim, desse modo), tiam (logo).

Ŝi ne viej bone pagen, daŭ decidej čanĝe her vork. (Não era bem remunerada, então decidiu trocar de emprego.)

Ja razda, tiam (ja) exista. (Penso, logo existo.)

Diz baŭk is tre oner, tial ja ne ge ŝulda purŝe ĝer. (Este livro é muito caro, portanto / por isso não poderei comprá-lo.)

2.8.1.5 - Conjunções Coordenativas Explicativas

Estabelecem relação de explicação. As principais conjunções coordenativas explicativas são vurkaŭze (porque), čar (pois), vurqŭidan (porquanto).

Ŭi volej vojaĵe vurkaŭze ŭi ne akiviej delaze či hajme. (Quisemos viajar porque não conseguiríamos descansar aqui em casa.)

Ja ne bringej du plejzan, čar ja ne haviej lujsten ju. (Eu não trouxe o pedido, pois não havia te ouvido.)

2.8.2 - Conjunções Subordinativas

As conjunções subordinativas ligam termos que não têm o mesmo nível hierárquico, de modo que geralmente existe uma oração principal e uma oração subordinada à principal. A oração subordinada isolada não possui sentido completo, dependendo da oração principal para fazer sentido.

Dessa forma, as conjunções subordinativas ligam duas orações, porém uma depende da outra. A partir do sentido que estabelece entre as duas, a conjunção subordinativa pode ser subclassificada em adverbial ou integrante.

2.8.2.1 - Conjunções Subordinativas Adverbiais

Introduzem orações subordinadas a orações principais, traduzindo uma ideia de circunstância entre elas. Há nove subclassificações entre essas conjunções.

2.8.2.1.1 - Causais

Iniciam orações subordinadas estabelecendo relação de causa, motivo. As principais conjunções subordinativas adverbiais causais são vurkaŭze (porque), haŭle (como), dut / det / dat (que).

Haŭle dej ne haviej monér, desistej of du giftan. (Como não tinha dinheiro, desistiu do presente.)

Ŝi tajkej dus best fotos vurkaŭze hopej ĝis al duskan. (Ela tirou as melhores fotos porque esperou até o entardecer.)

Ja viej det vortelej dit vur ju. (Fui eu que te contei isso.)

2.8.2.1.2 - Consecutivas

Iniciam orações subordinadas estabelecendo relação de consequência. As principais conjunções subordinativas adverbiais consecutivas são dut / det / dat (que), tiel (de modo que, de forma que).

Dej hibŝiĝej a viel, tiel dej viej de majer belo of du fést. (Ele arrumou-se bastante, de modo que era o mais bonito da festa.)

Ĝies vojaĝiej a multe al du rond of du veld, tiel sintiĝa nidan of lerne nove ŝpreklers. (Eles viajavam muito ao redor do mundo, de maneira que sentiam necessidade de aprender novos idiomas.)

2.8.2.1.3 - Comparativas

Iniciam orações subordinadas estabelecendo relação de comparação em relação à oração principal. As principais conjunções subordinativas adverbiais comparativas são den (tanto quanto), haŭle (como), haŭtiel (tal qual), haŭviel (quanto, tanto quanto)”.

Dej viej forter den en taŭro. (Ele era forte como um touro.)

Ŝi kantiej lindem, haŭtiel her mater. (Ela cantava lindamente, tal qual sua mãe.)

2.8.2.1.4 - Conformativas

Iniciam orações subordinadas estabelecendo relação de conformidade. A principal conjunção subordinativa adverbial conformativa é laŭ (conforme, segundo, de acordo com).

Dus čanĝes viej implementen laŭ du majoriza havej deciden. (As mudanças foram implementadas conforme a maioria havia decidido.)

Ĝies performej aldan dus akŝans laŭ dit aperej on du instruŝan baŭk. (Executaram todas as ações segundo constavam no manual.)

2.8.2.1.5 - Concessivas

Iniciam orações subordinadas estabelecendo relação de concessão. As principais conjunções subordinativas adverbiais concessivas são despite of (apesar de), ankoraŭ (ainda que, embora).

Ankoraŭ ŭi konis kiel gaŭe ĝis tien, ŭi ne hava kiel fore vun hie. (Ainda que saibamos ir até lá, não temos como sair daqui.)

Ja viej mal on du tést, despite of havej studen a multe. (Fui mal na prova, apesar de ter estudado muito.)

2.8.2.1.6 - Condicionais

Iniciam orações subordinadas estabelecendo relação de condição em relação a outra oração. As principais conjunções subordinativas adverbiais condicionais são ivan (se), kaze (caso), ekde (desde que).

Ja halta a intrudiĝe ivan ju promise a bringe helpan. (Paro de me intrometer se você prometer que vai buscar ajuda.)

Kaze du veter friziĝis, kojnes diz jakan. (Caso o tempo esfrie, bote este casaco.)

2.8.2.1.7 - Proporcionais

Iniciam orações subordinadas estabelecendo relação de proporção. As principais conjunções subordinativas adverbiais proporcionais são dum (à medida que), haŭ majer… majer (quanto mais... mais), haŭ miner… miner (quanto menos... menos), haŭviel (tanto quanto).

Dit ŝajna mi, haŭ miner ju kona, miner ju sufra. (Me parece que, quanto menos você sabe, menos você sofre.)

Dum ŭi aproximiĝiej, du lok rastej majer belo! (À medida que nos aproximávamos, o lugar ficava mais bonito!)

2.8.2.1.8 - Finais

Iniciam orações subordinadas estabelecendo relação de finalidade. As principais conjunções subordinativas adverbiais finais são alfine (a fim de que), vur (para), vure (para que).

Ŭi ge iniziĝa al emite regulár informans, alfine aldan kujdiĝes. (Começaremos a emitir informes regulares, a fim de que todos se cuidem.)

Vur ne luse du stap, ja profitej ed bringej jor reqŭestans ajzan. (Para não perder a viagem [literalmente "o passo"], aproveitei e trouxe as suas encomendas também.)

2.8.2.1.9 Temporais

Iniciam orações subordinadas estabelecendo relação de tempo. As principais conjunções subordinativas adverbiais temporais são kiam (quando), dum (enquanto), tuj kiam (logo que, assim que).

Dum ŝi ne advizes mi, ja ne akivas draŭme! (Enquanto ela não me avisar, eu não vou conseguir dormir!)

Ŭi g' ar tie tuj kiam ŭi arrivis! (Estaremos aí assim que chegarmos!)

2.8.2.2 - Conjunções Subordinativas Integrantes

As conjunções subordinativas integrantes introduzem orações subordinadas que exerçam função de substantivo no enunciado (as chamadas orações subordinadas substantivas). As conjunções subordinativas integrantes são dat (que) e ivan (se).

Vides ivan du fodjan ĝe friziĝej. (Veja se a comida já esfriou.)

Ja plejzej (dat) ju turniges mi du pót! (Pedi que me devolvesse o pote!)

2.9- Numerais

São palavras que quantificam os seres ou indica a posição que ocupam numa determinada ordem. Os numerais são todos palavras de gênero neutro e, em sua grande maioria, também invariáveis em número.

2.9.1- Numerais Cardinais

Quando apenas nomeia o número de seres ou itens. São palavras invariáveis em número e gênero.

2.9.1.1- Unidades

São palavras simples, com poucas sílabas (uma ou duas) e constituem a base de todos os demais numerais.

0 - Zér

1 - Jedan

2 - Dovo

3 - Ter

4 - Qŭad

5 - Qŭin

6 - Zex

7 - Zef

8 - Ok

9 - Naj

Nota:

Os nomes dos números 1 (jedan) e 2 (dovo) podem ser abreviados em alguns casos específicos.

Jedan > jed

Dovo > dov


2.9.1.2- Dezenas

Dezenas maiores do que 10 têm seus nomes montados a partir do número 10 (dek), o qual é multiplicado por uma unidade maior do que 1 (2, 3, 4, etc) para gerar as dezenas seguintes. O nome da dezena completa é construído precedendo-se a palavra dek pelo radical do nome da unidade multiplicadora e unindo-os por aglutinação, criando, assim, uma única palavra.

Ex:

20 = 2(10) = (dov'×dek) = dovdek

50 = 5(10) = (qŭin×dek) = qŭindek

80 = 8(10) = (ok×dek) = okdek

10 - Dek

20 - Dovdek

30 - Terdek

40 - Qŭadek

50 - Qŭindek

60 - Zexdek

70 - Zefdek

80 - Okdek

90 - Najdek

Nota:

Além da já abordada possibilidade de abreviação do nome do número 2 (que ocorre em palavras como dovdek), na construção do nome do número 40 (qŭadek) ocorre a supressão da letra d da partícula dek, uma vez que o nome do número 4 (qŭad) termina com a mesma letra e o dígrafo dd não existe no idioma.

Para dezenas incompletas, o nome do numeral é montado de forma analítica, simplesmente escrevendo o nome da dezena completa parental seguida pelo nome da unidade somada a ela, grafadas como duas palavras separadas.

Ex:

11 = (10 + 1) = (dek + jedan ) = dek jedan

12 = (10 + 2) = (dek + dovo ) = dek dovo

15 = (10 + 5) = (dek + qŭin ) = dek qŭin

21 = (20 + 1) = (dovdek + jedan ) = dovdek jedan

23 = (20 + 3) = (dovdek + ter ) = dovdek ter

47 = (40 + 7) = (qŭadek + zef ) = qŭadek zef

  • Resumindo: se os números se multiplicam, seus nomes são aglutinados. Se eles se somam, são grafados como palavras separadas (com o de valor maior vindo primeiro).

12 = 10 + 2 >> Dek dovo

20 = 10 × 2 >> Dovdek

2.9.1.3 - Centenas

As centenas seguem um princípio semelhante ao das dezenas, sendo construídas a partir do nome do número 100 (cent), o qual é multiplicado por alguma unidade. O nome da centena completa é formado por aglutinação do radical do nome do numeral unitário com a partícula cent.

Ex:

200 = 2(100) = (dov'×cent) = dovcent

400 = 4(100) = (qŭad×cent) = qŭadcent

100 - Cent

200 - Dovcent

300 - Tercent

400 - Qŭadcent

500 - Qŭincent

600 - Zexcent

700 - Zefcent

800 - Okcent

900 - Najcent

Centenas incompletas seguem um princípio semelhante ao das dezenas, sendo construídas analiticamente. É formado pela centena parental seguida do número somado a ela, grafados como palavras separadas. Os nomes são escritos de forma hierárquica: centena-dezena-unidade.

Ex:

101 = (100 + 1) = (cent + jedan) = cent jedan

102 = (100 + 2) = (cent + dovo) = cent dovo

110 = (100 + 10) = (cent + dek) = cent dek

116 = (100 + 10 + 6) = (cent + (dek + zex)) = cent dek zex

287 = (200 + 80 + 7) = (dovcent + (okdek + zef)) = dovcent okdek zef

Nota:

Importante lembrar o fato de que todos os numerais não-monossílabos são paroxítonos. Portanto, nos nomes aglutinados, a parte correspondente à unidade multiplicadora será a sílaba tônica da palavra.

QŬAdek, DOVdek, NAJdek, DOVcent, TERcent, OKcent

e não qŭaDEK, okCENT, etc.

2.9.1.4 - Milhares, Milhões, Bilhões, etc

Os nomes desses numerais são construídos de forma analítica, usando-se o nome do número parental completo (mil, milian, etc) precedido pelo número multiplicador. Porém, diferente dos casos anteriores, não há aglutinação: os nomes são escritos separadamente. A sílaba tônica, neste caso recai sobre a palavra mil ou na sílaba -li- de milian, bilian, etc.

1.000 - Mil

2.000 - Dov mil

3.000 - Ter mil

10.000 - Dek mil

100.000 - Cent mil

150.000 - Cent qŭindek mil

500.000 - Qŭincent mil

1.000.000 - Jed(an) milian

1.000.000.000 - Jed(an) bilian

Trilian; Qŭadrilian; Qŭintilian; Zexilian; Zefilian; Oktilian; Najnilian; Dekilian; Dekjedilian; Dekdovilian; Dovdekilian; Terdekilian; Centilian; Dovcentilian...

Para milhares (e milhões, bilhões…) incompletos, usa-se a fórmula vista para dezenas e centenas: os algarismos são escritos de forma hierárquica e como palavras separadas. Para milhares completos acima de 1.000, separa-se com vírgula o milhar da centena (ou dezena) incompleta subjacente.

1.001 - Mil jedan

1.010 - Mil dek

1.100 - Mil cent

1.234 - Mil dovcent terdek qŭad

2.050 - Dov mil qŭindek

2.021 - Dov mil, dovdek jedan

16.534 - Dek zex mil, qŭincent terdek qŭad

3.917.268 - Ter milian, najcent dek zef mil, dovcent zexdek ok

Ja hava zef gats in maj hajm. (Eu tenho sete gatos na minha casa.)

Maj fridan jatej qŭad apels ed givej mi none. (Meu irmão comeu quatro maçãs e [não] me deu nenhuma.)

Ŝi ajmej dek mil motivos vur ne turne al loĝe in dat lok. (Ela apontou dez mil motivos para não voltar a morar naquele lugar.)

Dit's jedan géld du frajpan! (É um géld o picolé!)

2.9.2- Numerais Ordinais

Indicam a ordem que o ser ou objeto ocupa numa série. São palavras invariáveis em número (singular e plural). Os numerais ordinais são construídos usando o radical do nome do número ordinal acrescido da terminação -er. Observa-se que os radicais correspondentes aos números 3, 8 e 9 (e outros números terminados por eles) sofrem ligeiras modificações.

Para numerais com nomes compostos, formados por palavras separadas como dezenas e centenas incompletas, milhares e milhões, o nome deve tornar-se uma única palavra composta, com os termos separados por hífen para evitar confusão.

- Jeder

- Dover

- Terter

- Qŭader

- Qŭiner

- Zexer

- Zefer

- Okter

- Najner

10° - Deker

11° - Dek-jeder

12° - Dek-dover

13° - Dek-terter

14° - Dek-qŭader

15° - Dek-qŭiner

20° - Dovdeker

29° - Dovdek-najner

30° - Terdeker

40° - Qŭadeker

100° - Center

136° - Cent-terdek-zexer

1.000° - Miler

1983° - Mil-najcent-okdek-terter

1500° - Mil-qŭincenter

2.000° - Dov-miler

10.000° - Dek-miler

100.000° - Cent-miler

1.000.000° - (Jed-) Milianer

2.000.000° - Dov-milianer

Izák viej du jeder al kame. (Izák foi o primeiro a chegar)

Mariŝka havej du dover best resultan in diz tést. (Mariŝka teve o segundo melhor resultado nesse teste.)

Diz is du milianer tajd dut ja expliza dit vur ju, kaj ŝajna det ju ne komprenej mi, ankoraŭ! (Esta é a milionésima vez que eu te explico isso, mas parece que você não me entendeu ainda!)

2.9.3- Numerais Multiplicativos

Exprimem aumentos proporcionais de quantidade, indicando números que são múltiplos de outros. Esses numerais se assemelham a adjetivos em sua funcionalidade, também são palavras de gênero neutro e invariáveis em número.

Assim como no caso dos numerais ordinais, os números com nomes compostos separados devem ser ligados por hífen.

×2 - Doble (dobro)

×3 - Triple (triplo)

×4 - Qŭaduple (quádruplo)

×5 - Qŭintuple (quíntuplo)

×6 - Zextuple (sêxtuplo)

×7 - Zeftuple

×8 - Oktuple

×9 - Najtuple

×10 - Dekuple

×12 - Dek-doble

×15 - Dek-qŭintuple

Ja hava du doble of zojts dan ju. (Eu tenho o dobro de doces que você).

Dej hava du triple of muskles dan mi! (Ele tem o triplo de músculos do que eu!)

2.9.4- Numerais Fracionários

Indicam a diminuição proporcional da quantidade, o seu fracionamento. São todos palavras de gênero neutro e invariáveis em número. Essas palavras são construídas usando o radical do nome do número ordinal acrescido da terminação -ej. Aqui também se observa as mesmas modificações nos números 3, 8 e 9 vistas nos numerais ordinais. Além disso, há nomes próprios para os números inteiros (divididos por 1) e nos números divididos por 2, que possuem mais de uma nomenclatura.

Os numeradores da fração são tratados como numerais cardinais, enquanto os denominadores são considerados de forma semelhante aos numerais ordinais, substituindo-se a terminação -er por -ej. Os nomes do numerador e do denominador são escritos como palavras separadas. Assim como no caso dos ordinais, os números do denominador são grafados com nomes compostos ligados por hífen.

1/1 - Jedan aldej (um inteiro)

1/2 - Jedan dovej, Half (um meio, metade)

2/3 - Dovo tertej (dois terços)

3/4 - Ter qŭadej

2/5 - Dovo qŭinej

1/6 - Jedan zexej

2/7 - Dovo zefej

3/8 - Ter oktej

1/9 - Jedan najnej

3/10 - Ter dekej

4/15 - Qŭad dek-qŭinej

3/21 - Ter dovdek-jedej

1/100 - Jedan centej

2/1.000 - Dovo milej

5/1.845 - Qŭin mil-okcent-qŭadek-qŭinej

174/3.114 - Cent zefdek qŭad ter-mil-cent-dek-qŭadej

3/1.000.000 - Ter jed-milianej

Ivan ja havis onlej jedan dekej of jor konizan… (Se eu tivesse somente um décimo do seu conhecimento…)

Dej jatej du half of dat kuĥan ed rastej nozer. (Ele comeu a metade daquele bolo e ficou doente.)

2.9.5- Numerais Coletivos

Designam conjuntos de seres e indicam o número exato de indivíduos que compõem o conjunto. Estas palavras são de gênero neutro mas, diferentemente dos demais tipos de numerais, podem ser flexionados em número, funcionando como substantivos. São construídos, na maioria dos casos, acrescentando-se o sufixo -an após o radical do número.

1 - Jedan (um; unidade)

2 - Par (par)

3 - Trian (trio, trinca)

10 - Dekan (dezena)

12 - Dekdovan (dúzia)

15 - Dekqŭinan (quinzena)

20 - Dovdekan (vintena)

100 - Centan (centena)

Números com nomes compostos, neste caso, sofrem aglutinação para formar uma palavra única, o que, no caso de números especialmente grandes, de fato gera as maiores palavras do idioma. No entanto, tais números coletivos inusitados não são utilizados no âmbito prático.

1.357 - Miltercentqŭindekzefan

10.819 - Dekmilokcentdeknajan

41.897.123 - Qŭadekjedanmilianokcentnajdekzefmilcentdovdekteran

Ŝi hava dekans of dreses, kaj uza ĝus ione vikes. (Ela tem dezenas de vestidos, mas só usa alguns poucos.)

Ja brokej jedan dekdovan of geks. Aldan viej roten! (Eu quebrei uma dúzia de ovos. Todos estavam podres!)

Kam' aldes a purŝe! Dit's dek rublos du jedan! (Venham todos vocês comprar! É dez rublos a unidade!)

2.10. - Interjeições

As interjeições são palavras ou expressões invariáveis que exprimem estados emocionais, sensações ou estados de espírito. Também servem como auxiliadoras expressivas para o interlocutor, já que lhe permitem a adoção de um comportamento que pode dispensar estruturas linguísticas mais elaboradas.

A interjeição é considerada uma palavra-frase, caracterizando-se como uma estrutura à parte. Não desempenha função sintática e, muito, é seguida de um ponto de exclamação.

Essas palavras frequentemente não seguem os mesmos padrões regulares de terminações e concordância observados na maioria das demais classes de palavras, muitas vezes apresentando-se apenas como o radical. Isto pode ser visto, por exemplo, em interjeições derivadas de verbos:

Halt! - Pare! (haltes > halt)

Help! - Me ajude! (helpes > help)

Nur! - Agora! (nura > nur)

Kam! - Venha! (kames > kam)

Kam (či) hie! - Venha cá / aqui! (kames či hie > kam (či) hie)

Hult! - Cale-se! (hultiĝes > hult)

Hult je mund! - Cala a boca! (originalmente "hultes jor mund!")

As interjeições podem ser divididas em três grupos:

2.10.1 - Interjeições Onomatopéicas

São, basicamente, sons que são criados com a boca: aj! (ai), uj! (ui), jo! / je! (oba!), nuŝ! (nossa!), ! (ah!), oje! / hej! (oi / olá), ! (oh!) ŭe?! / ŭej?! (ué?!) jeĥ! / geĥ! ([indignação]) afs! (aff), ojz! ([repreensão]), erk! / erg! / jek! (eca! / argh!) fi! (credo!), hum! (hum), ts! ([enfado]) psiŭ! (psiu)...

Erg! Diz fodjan is horrible! (Eca / argh! Esta comida está horrível!

, maj bele ed loven land… (Oh, minha terra linda e amada…)

Oje, Manfred! Vis mi, Sid! (Oi, Manfred! Sou eu, o Sid!)

Ojz! Vek tajds ja ĝe voblej ju ne disobejde mi, Pavles?! ([Ei!] Quantas vezes eu já te disse [para] você não me desobedecer, Pavles?!)

Jo! Ja lova diz zojtans! (Oba! Eu amo esses doces!)

2.10.2 - Interjeições Exclamativas

São palavras ou expressões oriundas de outras classes gramaticais que exercem a função de interjeição: forgivan! (perdão!), bedaŭran! (desculpa!), silënt! (silêncio!), halt(es)! (chega!, basta!), santa Maria! (santa Maria!, ave Maria!), (maj) loven Dio! ((meu) Deus amado!), santa matrioŝka! (santa matriosca!), nuŝka! (algo como "nossa!"), manks bites mi! (macacos me mordam!), patjels! (batatas!), geks! (ovos / saco!), hult(iĝes)! (cale-se!) skjél! (céus!)...

Hult je mund! Ja ne vola lujste jor plorans! (Cala a boca! Não quero ouvir as tuas reclamações!)

Patjels! Dit hava un flujgan on maj dak. Gaŭ' mi tie dispende majer monér… (Saco! Tem um vazamento no meu teto. Lá vou eu gastar mais dinheiro…)

Forgivan, maj dad. Ja ne volej zujde ju. (Perdão, meu pai. Eu não queria te entristecer.)

Nuŝka! Diz film is amaŭzan! (Nossa / puxa vida, esse filme é espetacular!)

2.10.3 - Interjeições Interrogativas:

São interjeições que, diferente das outras, são acompanhadas de ponto de interrogação e se usa o tom de uma pergunta. Estas são as únicas palavras do giptanês que dispensam a necessidade de se usar uma partícula interrogativa inicial. Exemplos incluem: oj? / oje? / hej? (oi?), hejn? (hein?), ŭos? (quê?), han? (hã?), ču eblej? (será?), ŝurej? (sério?, mesmo?), kiel? (como?)...

Ja lujstej onej vobla dat maj najbor is en ŝtelan. Ču eblej? (Ouvi dizer que meu vizinho é um ladrão. Será?)

Hejn?! Kiel?! Ču's ju al voble ŝuran?! (Hein?! Como?! Você está falando sério?!)

Oje? Ču hava ionej či hajme? (Oi? Tem alguém aí em casa?)

As interjeições podem ser classificadas de acordo com o sentimento que traduzem. Os principais tipos de interjeição são aqueles que exprimem:

  • Afugentamento  

Kipes aŭt! (xô, fora daqui), For či hie! (fora daqui!), For! (fora!, sai!), Gaŭ! (vá!), Run! (corre!), Vaniŝes! (desapareça!) Fores tien! (Sai pra lá!)

  • Alegria / Contentamento  

! ! ! (ê!) Oje! Jo! Je! Uĥul! (uhul!) Nuŝka! (nossa!) Viva! (viva), Haŭle godjan! (que bom!)

  • Advertência  

Alerta! (alerta!), Halt! (alto (lá)!), Zorges! (cuidado!) Kalm()es! (calma!) Ojk'! (olha)!, Lujst'! (ouça!) Vier! (fogo!) Kam či hie! / Tur' či-hie! (volta aqui!), Ne taŭg'! (não dá!)

  • Admiração  

Nuŝka! (puxa!), Haŭl' dajn! (que coisa!) ! ! ! ! Ŭaŭ! / Ŭaŭs! (uau!), Damen! / Haŭl' damen! (caramba!, caraca!), Putz! (puts!) Nun! (ora!), Haŭl' godjan!, Brave! (bravo!), Haŭle bele(a/o)! (que lindo!)

  • Alívio  

Ufs! / Uf! (ufa!), !, Ĝoj! / Dobroje! (ainda bem), Oĥ, maj loven Dio! (oh, meu Deus amado!)

  • Animação / Estímulo  

Koraĝe! (coragem!) Ej! Uples! (para cima) Upa! (upa), Gaŭ! (vamos!) Vigles! (ânimo!), Vor! (adiante, pra frente), Avantes! Ej! Koraĝe!, Fort! (força), Gaŭ's vur dit! (vai nessa)

  • Apelo  

Halo! (alô) Hej!, !, Help(an)!, Plejz! (por favor)

  • Aplauso     

Bis! (bis, outra vez), Bone! / Godjan! (bem, bom), Brave!, Viva!, Apojen! (apoiado), Hup! Hurra! Jés! / Je! (isso!), Tre godjan! (muito bem!), Gratulon! (parabéns!)

  • Agradecimento  

Dank' al Dio! (graças a Deus), Dankon! (obrigado/a), Dankiĝen! / Gladiĝen! (agradecido/a) Dankon dan majer! (muito obrigado/a), Spas! (valeu), Valej d'efortan! (valeu a pena)

  • Chamado / Invocação  

Halo!, Hej!, Oje!, Psiŭ!, Help!

  • Desculpa  

Forgivan!, Forgives!, Bedaŭres!, Zurej! (me desculpe)

  • Desejo  

!, Tajk! (tomara), Ŝuld! (pudera), Dio voles! (queira Deus), Hu'n giv mi! (quem me dera!)

  • Despedida  

Adiaŭ! (adeus), Ĝis! (até), Ĝis after nadjan! (até logo!) Baj-baj! (bye bye)

  • Dor / Lamento  

Aj!, Uj!, Aj a mi! (ai de mim), Desolen! / Lamenta! (eu lamento), Domaĝe! (que pena), Domaĝej! (que peninha), Lastima! (que lástima!)

  • Dúvida    / Interrogação

Hum?, Hejn?, Han?, Oj?, Hej?, Ŭós?!, Kiel?!, Huen?!, Ŭie?!, Ŭós haŭ?! (comequié?!)

  • Cessação  

Halt!, Ojz!

  • Espanto  

Ŭe!, Tie!, Dio!, Putz!, Ŭós?!, Ops!, Eps!, Nuŝka!, Jesús!, (Maj) Loven Dio!, Dio fotar! (Deus pai), Dio vun skjél! (Deus do céu), Santa Maria!, Santa Matrioŝka!, Krambol! (caramba, carambola)

  • Impaciência  

Afs!, Hum!, Putz!, Patjels!, Geks!, Jeĥ!, Geĥ!, Ts!, Diabo!, Dang! / Dangit! (droga), Erk!, Oĥ, vaste veld! (oh, vasto mundo!), Aĥ, maj Dio! (ah, meu Deus!), Skat! / Ŝit! / Fek! (bosta, merda), Oĥ, vej! (desgraça)

  • Saudação  

Saluton! (saudações), Hej!, Oje!, Halo!, Hurre!, Viva!, Haŭl' godjan!, Blaŭg! (joinha!)

  • Silêncio     

Psiŭ!, Silënt!, Hult!, Psit!, Halt!, Qjét! / Kjét! (quieto/a), ! (shhh)

  • Suspensão  

Halt!, Ding' a nur! (pense bem, pensa rápido)

  • Terror / Medo  

Manks bites mi! (macacos me mordam) Fi! (credo!) Čur! (cruzes!) Jesús!, Haŭl' du fujran!, (que medo!), Dio fotar!, !, !, Horrör!, Help!, Mama mia!

  • Surpresa  

!, ŝurej?!

2.11- Correlativos (Tabelvortans)

As palavras correlativas formam um grupo de palavras as quais contém alguns pronomes interrogativos, demonstrativos e advérbios.

Semelhante ao observado nos idiomas Esperanto e Russo, essas palavras podem ser organizadas em uma tabela, embora não tenham a mesma regularidade como no caso do Esperanto, com o qual o giptanês compartilha vários dos mesmos correlativos.

Os correlativos são palavras que pertencem a várias classes gramaticais tais como pronomes interrogativos e indefinidos, conjunções e advérbios, não constituindo, assim, uma classe gramatical propriamente dita.


2.11.1 - Tabela de Correlativos

Indagação Indicação Indefinição Ausência de algo Totalidade de algo
Indivíduo / Coisa definida Huen / Haŭ

Quem / Qual

(Či-)Diz / Dat

Este(a) / Aquele(a)

Ione(j)

Algum(a) (Alguém)

None(j)

Nenhum (Ninguém)

Aldan / Alder

Todo / Cada

Coisa Indefinida Ŭos

O que

Diz / Dat

Isso / Aquilo

Ion

Algo

Noten

Nada

Aldan

Tudo

Tipo / Espécie Ŭes

De que

Tiaŭ

Desse tipo / espécie, assim / tal

Some

De algum tipo / espécie

Nundej

De nenhum tipo / espécie

Undej

De todo tipo / espécie

Lugar Ŭie(s)

Onde (Cadê)

Hie / Tie

Aqui / Aí, Ali, Lá

Ie(j)

(em) Algum lugar

Nie(j)

(de) Nenhum lugar

Ale(j)

(de) Todo lugar

Motivo Ŭós

Por quê?

Tial

Por isso

Ial

Por algum motivo

Nial

Por nenhum motivo

Aldal

Por todos os motivos

Tempo Kiam

Quando

Daŭ / Tiam

Então / Logo

Iam

Em algum tempo / momento

Neŭer

Em nenhum tempo, Nunca

Eŭer

Em todos os tempos, Sempre

Modo / Maneira / Forma Kiel

Como / De que modo

Tiel

Assim, Desse / Daquele modo

Iel

De algum modo

Niel

De nenhum modo

Aldel

De todos os modos

Posse Ves / Vas / Vus

De que(m) / Cujo(a)

Der / Her / Ĝer

Dele / Dela / Dele(a) (neutro)

Ies

De alguém

Nies

De ninguém

Aldes

De todos

Quantidade Vek

Quanto

Ver

Tanto

Viel

Um pouco, uma certa quantidade

Noten

Nada, nenhuma quantidade

Aldan

Tudo, toda quantidade

2.11.2 - Extensão dos Correlativos

Tal como ocorre com o Esperanto, em giptanês também é possível modificar o sentido de alguns correlativos com mudanças na desinência final ou com o emprego de partículas ou palavras auxiliares, de forma a deixar o seu significado mais específico ou, na mão oposta, mais amplo.

2.11.2.1 - Terminações Modificadoras

Os correlativos de lugar podem receber a terminação em -n, a qual imprime a ideia de movimento ou direção. Ex.: ŭie = onde > ŭien = para onde / aonde; tie = ali, lá > tien = para lá.

Alguns correlativos terminados em e (ione, none, ie, nie, ale) podem ser modificados com a adição de um -j final. Isto torna o seu significado mais individual ou específico.

  • Em correlativos para coisas definidas ou indivíduos, o j adicionado fixa o significado de indivíduo: ione = algum (objeto) > ionej = alguém (indivíduo).
  • Nos demais casos, sua adição torna o correlativo mais específico: ie = algum lugar; iej = de / em algum lugar.

O correlativo ŭie (onde), além das formas alteradas ŭien (para onde) e ŭiej (de onde), também pode receber uma terminação em -s, a qual é originada da contração da expressão ŭie is > ŭie's > ŭies. Esta forma cria o significado de "procura por algo / alguém": ŭie = onde; ŭies = cadê? / onde está?

2.11.2.2 - Partículas Modificadoras

São pequenas palavras sem tradução que, ao formarem locuções com os correlativos, lhe dão um novo significado. Isto reduz as ambiguidades de interpretação para alguns correlativos de significado mais vago, como os demonstrativos, evitando grandes construções perifrásicas para transmitir a mesma ideia.

  • Os correlativos para indivíduos / coisas definidas e para coisas indefinidas, em giptanês, são os mesmos: diz (que significa este/esta/isto e esse/essa/isso) e dat (aquele/aquela/aquilo). No caso de diz, a adição da partícula či imprime uma maior noção de proximidade: diz či = este(a) / isto. Por outro lado, a adição da partícula for cria uma noção de distância: dat for = aquele(a) lá / aquilo lá.
  • Algo semelhante ocorre nos correlativos de lugar definido, hie e tie. A adição da partícula aproximativa či cria uma maior noção de proximidade: hie = aqui > hie či / či-hie = cá / bem aqui; tie = ali, lá > či-tie / tie či = bem ali / logo ali. A partícula distanciativa for também pode ser usada para alterar o sentido: tie-for = acolá / lá longe.
  • A partícula ajn escrita logo após o correlativo cria um efeito de maior indefinição do seu sentido. Ex: ial = por algum motivo > ial ajn = qualquer motivo que seja.

2.11.2.3 - Correlativos Compostos e Substitutos

Algumas outras palavras do idioma podem, em alguns casos, exercer a função de correlativo. Um exemplo clássico é o pronome pessoal neutro de terceira pessoa dit, que também pode ser empregado como substituto do correlativo diz quando este pode ser traduzido especificamente como "isto". É relativamente comum ocorrer essa troca durante o discurso.

Ŭos is dit on maj hand? (O que é isto na

minha mão?)

Outro recurso utilizado em algumas ocasiões são algumas construções alternativas que atuam como sinônimos de alguns correlativos:

  • Vun aldanvun (de) + aldan (tudo) ~~ Ale (todo lugar)
  • None vielnone (nenhum(a)) + viel (um tanto) ~~ Noten (nada, nem um pouco)
  • Haŭtielhaŭ (qual) + tiel (esse jeito, assim) ~~ Kiel (como?)
  • Haŭ tajmhaŭ (qual) + tajm (tempo) ~~ Kiam (quando?)
  • Ŭós haŭŭós (o que) + haŭ (qual) ~~ Ŭós (uma pergunta mais enfática; "mas, como?")

2.12 - Partículas Auxiliares

Uma característica peculiar do Giptanês, também observada em Esperanto, é o uso de pequenas palavras, em geral monossílabos átonos, para modificar ou reforçar o significado de alguns outros termos. Algumas ideias complementares são formadas com partículas especiais sem um significado próprio (portanto geralmente intraduzíveis quando ocorrem isoladas do contexto) que geralmente acompanham algum termo principal.

Algumas destas partículas são:

  • Ču - Geralmente utilizada para iniciar frases interrogativas, sendo, portanto, um marcador de perguntas. É utilizado em frases interrogativas quando esta não possui algum pronome interrogativo.
  • Či - Usado para transmitir a ideia de proximidade, especifidade ou iteração, usado com frequência para alterar correlativos como advérbios de lugar (hie = aqui; či-hie = bem aqui) e pronomes demonstrativos (diz = esse(a) / isso ou este(a) / isto; či-diz = este(a) / isto, especificamente). Pode ser posicionado antes ou depois do termo a ser modificado, separado ou não por hífen.
  • Ajn - Aumenta a indefinição de algo, transmitindo a ideia de "o que quer que seja": iel = de algum modo; iel ajn = de qualquer jeito. É grafado sempre após o termo a ser modificado.
  • Ge - Indica um tempo ou ação no futuro. Precede verbos no tempo futuro, constituindo assim o futuro analítico: ja vobla = eu falo; ja ge vobla = eu falarei / vou falar. É sempre escrita imediatamente antes do verbo e inseparável deste, mas não pode ser ligada por hífen.
  • A - Preposição indefinida, às vezes com significado de "de'' ou "em". É utilizada frequentemente para fim de eufonia, evitando colisões difíceis de pronunciar entre palavras consecutivas nas quais uma termina e a outra inicia por consoantes. Também modifica o significado de alguns termos: viel = um tanto; a viel = um monte de.
  • For - Uma das poucas partículas que, quando isolada, tem um significado independente (significa "fora"). Ao contrário de či, transmite uma ideia de distanciamento, desvínculo. Usado geralmente para modificar correlativos como advérbios de lugar (tie = ali / lá; tie-for = (mais específico) / lá longe) ou pronomes demonstrativos (dat - aquele(a) / aquilo; dat-for = aquele(a) lá / aquilo lá). Também pode ser ou não separado do termo modificado por hífen.
  • - Com um significado aproximado de "cada" ou "mesmo" e também podendo ser uma palavra independente, esta pequena palavra, ao contrário de ajn, torna o significado do termo alterado mais específico. Geralmente precede o termo a que acompanha, podendo ou não ser separada por hífen. Exemplos: jedan = um / eč-jedan = cada um; tiel = assim / eč-tiel = assim mesmo.

3- Estrutura das Frases

3.1- Frases afirmativas

As frases afirmativas em giptanês são bastante semelhantes ao padrão comum das frases afirmativas em português e em inglês.

Ja lova ju. (Eu te amo.)

Maj fridan is ver hajgan.

(Meu irmão é muito alto.)

Ja vobla angles, portuges ed giptanes.

(Eu falo inglês, português e giptanês.)

Maj blusa is gren. (Minha camisa é verde.)

Maj fotar viej en polizer man. (Meu pai foi um policial.)

Maj liva is ver godjan, dank' al Dio. (Minha vida é muito boa, graças a Deus)

Her drés is tre belo… (O vestido dela é tão bonito…)

Ja dispendej aldan du monér.

(Eu gastei todo o dinheiro)

3.2- Frases Negativas

As frases negativas em giptanês são semelhantes ao padrão comum do português. O advérbio de negação ne (não) é adicionado a uma frase afirmativa para gerar uma frase negativa.

Ja ne vola vide dit. (Eu não quero ver isto.)

Ja ne likej diz. (Eu não gostei disso.)

Jus ne helpa mi a noten.

(Vocês não me ajudam em nada.)

Jor hund ne vola raste niar a mi…

(Teu cachorro não quer ficar perto de mim...)

Jus ne ŝulda entre hie.

(Vocês não podem entrar aqui.)

Nota:

O advérbio de negação ne geralmente é posto antes dos verbos, exceto no caso das conjugações especiais do verbo irregular vie. Neste caso, o advérbio é colocado após a forma verbal, um padrão semelhante ao do inglês.

Ja vis ne lojker! Kredes in mi, plejz! (Eu não sou mentiroso! Acredite em mim, por favor!)

Dit is ne fodjan! Ŝpites dit! (Isso não é comida! Cospe!)

Diz ar ne maj kijavels. (Essas não são as minhas chaves.)

3.3- Frases Interrogativas

As frases interrogativas do giptanês são construídas de uma forma peculiar, pois, além da entonação (similar à das perguntas em português), é necessário utilizar um marcador para trazer o sentido de interrogação à frase, o qual é utilizado para todas as frases interrogativas. Estes marcadores consistem em algum pronome interrogativo (huen - quem; ŭos - o que; ŭós - por que; haŭ - qual; kiel - como; kiam - quando, etc) ou, na ausência desses pronomes, é utilizada a partícula ču. Toda frase interrogativa deve obrigatoriamente contar com esses marcadores, com exceção de algumas interjeições.

A ordem das palavras nas frases interrogativas geralmente é PSVO (Partícula interrogativa - Sujeito - Verbo - Objeto), mas é bastante comum se usar também a estrutura PVSO (com uma inversão na ordem entre o sujeito e o verbo), uma reminiscência do inglês. Ambas as estruturas são livremente intercambiáveis, sem prejuízo para a compreensão da frase.

Ŭós ju daŭej dit ŭit mi? / Ŭós daŭej ju dit ŭit mi? (Por que você fez isso comigo?)

Kiel ju lernej pri dit? / Kiel lernej ju pri dit? (Como você aprendeu sobre isso?)

Huen ar ĝies? / Huen ĝies ar? (Quem são eles?)

Ŭie gaŭa ju? / Ŭie ju gaŭa? (Onde você vai?)

ŭiej venej ju? / ŭiej ju venej? (De onde você veio?)

Ŭós haŭ? (Por quê? / Mas como?)

Kiel is vokiĝen diz hund? / Kiel diz hund is vokiĝen? (Como este cachorro é chamado / se chama?)

Kiam ju ge dalka ŭit mi? / Kiam ge dalka ju ŭit mi? (Quando você falará comigo?)

Ču jus ŝulda komprene mi? / Ču ŝulda jus komprene mi? (Vocês podem me entender?)

Ču vola ju dalke ion? / Ču ju vola dalke ion? (Você quer dizer algo?)

Ču dingej dej in ione dajn? / Ču dej dingej in ione dajn? (Ele pensou em alguma coisa?)

Ču is jor nés rodizan? / Ču jor nés is rodizan? (Teu nariz está vermelho?)

Ču vola jus dat ŝi kantes? / Ču jus vola dat ŝi kantes? (Vocês querem que ela cante?)

Ču ŝi ge arriva aftermorgaŭ? / Ču ge arriva ŝi aftermorgaŭ? (Ela chegará depois de amanhã?)

Obs.: Para sentenças mais longas e/ou de construção mais complexa como em orações subordinadas sem conjunção, a estrutura PSVO é preferida para manter uma maior coerência e evitar ambiguidades de interpretação.

Haŭ of dat is jor vogan? (Qual daqueles é o seu carro?)

  • A construção alternativa Haŭ is of dat jor vogan? pode soar muito rebuscada e não natural a um falante nativo (algo como "Qual é daqueles o seu carro?" em português).

Ču ju dinga mi a stultan? (Você me acha idiota / burro(a)?)

  • A construção alternativa Ču dinga ju mi a stultan? soaria confusa, devido à colisão direta de dois pronomes. Casos como esse necessita de conjunção para separar os termos. Uma outra construção, mais complexa, é mais consistente: Ču dinga ju det ja vis a stultan? (Você acha que eu sou burro?)


Dialetos[]

Devido à difusão do idioma e o contato com as línguas correntes nos países onde as comunidades giptofalantes residiam, o giptanês sofreu um suave processo de dialetização. As diferenças residem basicamente nas palavras tomadas como empréstimos de outros idiomas (sobretudo gírias, nomes de comidas, etc) e algumas diferenças leves na pronúncia, surgindo assim sotaques diferentes dentro do idioma. O giptanês padrão é definido como o dialeto falado na região de Juniperstad.

Os principais dialetos giptaneses são:

Giptanês juniperiano[]

A variante falada na cidade de Juniperstad, sudoeste da Rússia, é considerada a forma padrão do idioma. Trata-se da língua na forma original, com alguns empréstimos do russo, como privët (olá) usado preferencialmente ao termo hej. O giptanês juniperiano é falado de uma forma leve, com um ritmo moderado e um sotaque russo suave. Esta variante é falada em Juniperstad e diversos outros distritos de engens na Europa e Américas. As características fonéticas mais marcantes desta variante são as vogais E e O majoritariamente fechadas; diferença evidente entre Q e K; Ĥ pronunciado de forma mais ensurdecida (como o X russo); um R marcadamente vibrado e o C seguido de E e I pronunciado como /ts/.

Giptanês melquisedequiano[]

A variante falada na República de Melquisedec, um pequeno país no Pacífico. Esta variante possui uma marcante influência do inglês, devido ao forte contato entre os dois idiomas falados concomitantemente no pequeno país. Possui uma grande quantidade de impréstimos do inglês, geralmente transcrito para a grafia do giptanês, tais como comonŭélt (commonwealth), delíveri (entregas) etc, além de várias gírias. As características fonéticas particulares deste dialeto incluem a pronúncia com um leve "sotaque americano"; letras E e O mais abertas e/ou nasalizadas em algumas palavras; C seguido de E e I pronunciados mais como /s/; um R menos vibrante e levemente retroflexo; o Ĥ pronunciado mais vozeado (como o gh de Callaghan), maior uso da letra C, além de frequentemente pronunciarem o Q como o K. Este dialeto é o único falado de forma nativa por um número significativo de humanos, em Melquisedec e em Sant' Johanes, na Austrália.

Jazykan[]

O jazykan é o dialeto giptanês que apresenta mais diferenças em relação à variedade padrão e as demais, sendo o único que oferece alguma dificuldade de inteligibilidade mútua. Esta versão é falada no Distrito Engen de Gedurski, uma comunidade de engens no sul da Polônia, possuindo uma ampla variedade de eslavismos e empréstimos do polonês e do ucraniano. O nome do dialeto vem da palavra eslava jazyk, que significa "língua", "idioma". O Jazykan é notório por ser a única variante de giptanês a utilizar a letra y, que é ausente no giptanês padrão. O Y é pronunciado com um som intermediário entre I e U, tal como o yéri russo (ы) ou o y polonês, e considerado como uma sexta vogal. Os engens falantes e muitos linguistas consideram este dialeto como um idioma distinto e separado, em vez de um dialeto giptanês.

As características distintivas do Jazykan são a grande abundância de eslavismos; a presença da letra Y, pronunciada como algo entre I e U; a letra C pronunciada como /ts/ e restrita somente a ce e ci; a grafia diferente de muitas palavras; palatalização do E, que é mudado de e para je em algumas palavras (como por exemplo em privët > privt); pronúncia de E e O sempre fechados; letras Q e Ĥ frequentemente pronunciadas da mesma forma e um R vibrante. Há também maior nasalização das letras A, E e O quando seguidas de M ou N.

Russo-giptanês[]

O russo-giptanês, rusgiptan (pronunciado "russ-guíptan") ou ainda "giptanski" é uma mistura variável entre o russo e o giptanês, falado em algumas comunidades na Sibéria. Faz uso extensivo de eslavismos, devido à presença concomitante dos dois idiomas nessas comunidades (diferente de Juniperstad, onde apenas o giptanês é a língua corrente). A pronúncia desta variante é basicamente a mesma do dialeto juniperiano, mas com uma certa propensão a palatalizar a letra E (assim como no Jazykan). As principais diferenças são encontradas no vocabulário, onde várias palavras do giptanês comum são substituídas por palavras de origem russa. O Rusgiptan é frequentemente escrito no alfabeto cirílico, com muitas das letras especiais escritas como dígrafos.

Coloquialmente, o termo "giptanski" também é utilizado como uma gíria pelos falantes de giptanês melquisedequiano para se referir aos falantes residentes em Juniperstad ou restante da Rússia e seus respectivos sotaques. Os juniperianos, por outro lado, usam o termo apenas para se referir aos giptanofalantes russos de outras localidades, excluindo a si próprios.


Giptanês nulandês[]

Variante falada na Nulândia, juntamente com o dialeto juniperiano. Possui forte influência do Esperanto e do português (idiomas falados no país), devido a ser uma língua minoritária. Muitas palavras oxítonas adicionam um -o no final e perdem o acento, tornando-se paroxítonas, como a mudança de senjör para senjoro; monér para monero etc, uma notável influência do esperanto. A pronúncia segue essencialmente a mesma linha do dialeto juniperiano (padrão), sendo a principal diferença a presença de muitos latinismos e palavras oriundas do esperanto e português, bem como uma sonoridade mais "italiana".


Curiosidades[]

  • O Giptanês aparece como referência oculta (easter eggs) em todos os episódios da série de quadrinhos O Super Anfonídeo. Há sempre uma palavra ou frase em giptanês bem sutil escrita em algum lugar entre as cenas, geralmente fora do foco principal. Em alguns casos elas se tornam bastante óbvias, especialmente nas cenas que se passam em Juniperstad e Melquisedec, onde é idioma oficial (especialmente quando o agente secreto Jan executa suas missões nestes locais), e em outras ele é falado ou escrito por alguns personagens oriundos desses países, como Ricky e Zojel. Em muitos casos, várias piadas sobre a "língua dos engens rebeldes" são feitas na história.
  • O personagem Zojel (pronuncia-se "zôiel") expressa-se apenas em giptanês.
  • O criador do idioma inspirou-se no Esperanto para criar uma possível linguagem que mesclasse esse idioma ao inglês. No entanto, resolveu mudar o projeto para incluir vocábulos do idioma Pomerano, uma língua germânica aparentada ao alemão e ao holandês que chegou a ser quase extinta e é falada apenas em alguns municípios do estado do Espírito Santo e alguns da região sul do Brasil. Isto torna o Giptanês o único conlang no mundo influenciado pelo idioma Pomerano.
  • O Giptanês possui influências consideráveis de idiomas germânicos ocidentais e latinos, com a única exceção ao Francês. São pouquíssimas as influências francesas no Giptanês, em geral penetradas no idioma via Esperanto.
Advertisement